Se a pandemia te atrapalhou, o REFIS te regulariza! Prefeitura de São Gabriel

Assine New Life Fibra - fibra óptica de qualidade para você!

Bariani Estética Automotiva - em novo endereço

www.peruzzo.com.br - Acesse, compre e receba em casa!

Painéis Solares A Elétrica - Energia Solar em até 120x

Urbano 60 anos - Parte da família da gente!

Faça seu cartão Cauzzo e tenha os melhores profissionais para sua saúde

Sicredi-Faz-Mais-setembro.gif

Use Odontologia em São Gabriel - saúde bucal para você e sua família

Anúncio Dra Ana Paula Ross

23 setembro 2021

Rossyr Berny palestra em São Gabriel sobre perdas e luto no trânsito

Jornalista e poeta Rossyr Berny está em São Gabriel para ministrar palestras sobre o luto e as perdas no trânsito, onde teve experiências com sua irmã e pai, ambos vítimas de atropelamento, além de falar do Prêmio Açorianos pela sua obra em prol da cultura

O jornalista gabrielense, poeta e empresário do setor cultural Rossyr Berny está em São Gabriel nesta semana para participar ativamente da Semana Nacional do Trânsito, com palestras sobre o aspecto das perdas e luto no trânsito em escolas municipais, além de visitar a redação do site Caderno7, nesta quarta (22). Ele dará mais uma palestra sobre o tema na Escola que leva o nome de sua saudosa irmã, Maria Carolina Berny.

Ele teve duas experiências tristes que marcaram sua vida e o levaram a relatar o perdão e o entendimento, sem esquecer de destacar os cuidados para que as tragédias não ocorram - Rossyr perdeu a irmã, professora Maria Carolina Berny de Oliveira, que denomina a escola municipal existente no Bairro Medianeira e o pai, Ervandil Vieira de Oliveira, ambos vítimas de atropelamento em momentos distintos da vida. 

Rossyr deu palestra na Escola Mascarenhas de Moraes, na terça (21), na localidade de Catuçaba, em atividade idealizada e coordenada pela diretora Maria Sodenir. Pela manhã houve destacadas palestras de Giovani Vieira dos Santos, do CFC Gabrielense, e do Sgt. PM Ivan Alves Rodrigues, os quais discorreram sobre a necessidade de motoristas e futuros motoristas, caso dos muitos jovens presentes, tentam consciência da importância do  respeito às leis de trânsito, para a segurança e o benefício de condutores, pedestres, ciclistas e a população em geral. 

Rossyr com o editor do site, Marcelo Ribeiro, em visita à redação do Caderno7

À tarde, Rossyr palestrou, com emocionado depoimento, abordando o aspecto do luto pelas perdas fatais ocorridas no trânsito, e das dores que estas trágicas mortes trazem aos familiares, marcando-os por suas vidas inteiras. Aproveitou o encontro para ilustrar com declamação de alguns poemas seus. Também apresentou no encontro sua maior conquista, que foi o Prêmio Açorianos de Literatura, concedido no final do ano passado pela Prefeitura de Porto Alegre, pelo conjunto de sua obra de 22 livros ao longo de 45 anos dedicados à escrita de poemas, romances, biografias e traduções. 

Nas palestras, Rossyr rememorou duas grandes perdas em acidentes de trânsito: a de sua irmã, Maria Carolina Berny de Oliveira, que lecionava na então Escola Aquiles Porto Alegre, no Bairro Medianeira, onde em 13 de abril de 1973, com apenas 23 anos, ao atravessar a BR-290 para mais um dia de trabalho, acabou atropelada e não resistiu. Era uma manhã que ela iria entregar agrados para seus alunos, pois era a segunda-feira seguinte ao Domingo de Páscoa. Em sua homenagem por proposição do vereador José Américo Teixeira, a Escola passou a levar seu nome e tem como atual diretora, a professora Simone Gama.

Outra tragédia abalaria o poeta Rossyr e sua grande família, com o atropelamento e morte de seu pai Ervandil Vieira de Oliveira, frente à antiga Cooperativa dos Leiteiros, na Barão de São Gabriel. Carroceiro que era, ali fora comprar ração para o cavalo, vaca e outros animais de casa. A tragédia se deu pelo fato de o condutor, que levava uma corta-e-trilha na oficina para conserto de freios, ao invés de subir a rua Barão de São Gabriel, desceu-a e a máquina ficou desgovernada, atropelado carroça e carroceiro, matando seu pai. 

Ao final da palestra, o poeta falou que foram necessárias décadas para que houvesse o perdão de quem tirou as vidas de sua irmã e seu pai. Entendeu que foram acidentes e não havia intenção alguma de matar. E todos, enfim, podem cometer grandes males sem a intenção deliberada de causar tragédias. Confessou que o perdão fez, inclusive, com que tenha esquecido os nomes dos dois motoristas que causaram as mortes de seu pai e irmã - o que, por décadas, parecia impossível.

Por isso elogiou muito a iniciativa da diretora Sodê Freitas em promover encontros para a orientação de alunos por profissionais do trânsito para que perdas não venham a enlutar novas famílias. "Que os alunos possam conversar em suas casas, com seus familiares sobre a necessidade da direção responsável, porque a educação no trânsito começa pelas crianças", salientou o escritor. 

Na próxima sexta-feira, 24, Rossyr Berny estará palestrando na Escola Carolina Berny sobre o importante tema do luto pelas perdas no trânsito, o perdão e o entendimento – mas destacando os cuidados para que tragédias não ocorram, traumatizando a todos, cada vez mais, dolorosamente. 

Alguns poemas de Rossyr Berny sobre suas perdas familiares; e sobre sua amada São Gabriel. 

(poema INÉDITO) 

ERVANDIL VIEIRA DE OLIVEIRA 

Meu pai é Cristo vivo 
Disfarçou-se de homem comum a vida toda 
para ensinar a sermos melhores 
Pelo sofrimento e pelo perdão 

A crucificação que o mataria 
foi substituída pela corta-e- trilha 
que o atropelou na rua Barão de São Gabriel 

De cima de sua carroça pela cidade 
fazia fretes de lojas, mudanças 
–  E o mais que somasse algum dinheiro 
ao alimento que trazia pra casa 
Todo dia a vida toda 
Servia a 16 vidas postas à mesa 
Café almoço janta e o amor diário 

Ervandil Vieira de Oliveira 
é iluminado livro que nunca se fecha 
Para que lições não se apaguem 
e o mundo se salve das maldades 

Ficou destroçado pela perda da filha  
Carolina atropelada no trânsito louco 
Morreria novamente  
caso visse sua amada Maria 
ser devorada pelo Alzheimer e outros males 

A lembrança e a saudade de meu pai 
traz a coragem enorme de lutar 
– E melhorar o mundo para todos 

= = = = = = = = = = 

Venho ver Cora em casa 
 
Meu verso, 
água corrente 
é semente (C.C.) 

Venho encontrar Cora em casa 
Cora. Sagrada poeta goiana 
Lina. Minha irmã Carolina morta no trânsito 

Anjos terrestres 
ensinavam lições celestes 
 
Coralina 
Carolina 
Cora descobriu-se poeta quando bem velhinha 
Lina não teve chance de envelhecer 
 
Cora. O marido amordaçou sua indomável poesia 
Lina. Ondino crucificou no asfalto seus dias 
 
Cora corajosa fugiu de casa e finou-se aos 96 anos 
Lina ajudou criar 12 irmãos e partiu solteira aos 23 

Anjos terrestres 

= = = = = = = = = = 

Ressurreição em rocha e fibra de carbono 
 
Meu pai morto no trânsito 
volta em corpo de pedra 
Elmo, armadura medieval de ferro 
Gladiador romano moderno 
 
Carroça cavalo arreios 
voltam em madeira de lei e fibra de carbono 
Inquebráveis 

Em pesadelo chega o Amaranto 
puxando a carroça do pai 
De quatro, o algoz 
Olhos de bandido de todo bandido 

O pai volta em sonho montado nele 
Surrando o assassino lerdo 
(Dirigindo a corte-e-trilha 
que corta-trilhou o pobre carroceiro) 

O velho Ervandil está apressado  
Preocupado 
em levar almoço para a família 
e ração pros bichos 

Deixou 12 filhos e mulher esperando à mesa 
Famintos por justiça impossível 
desde seu atropelamento há décadas 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 23/09/2021 08h40
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.