Projeto que teve deputado Mainardi como um dos autores foi sancionado nesta terça-feira pelo Governador Eduardo Leite (foto divulgação)

Aprovado há cerca de um mês por unanimidade na Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei Complementar (PLC) 165/2021, que suspende o prazo de validade dos concursos públicos durante o período do estado de calamidade pública no Rio Grande do Sul, provocado pela pandemia do coronavírus, foi sancionado nesta terça-feira (10) pelo governador Eduardo Leite. A medida foi uma iniciativa dos deputados estaduais Luiz Fernando Mainardi (PT) e Neri, o Carteiro (Solidariedade), que após articulação com o líder do governo, deputado Frederico Antunes, se transformou em uma proposta do Poder Executivo.

Conforme a agora lei complementar, ficam suspensos os prazos de validade dos concursos públicos estaduais entre 19 de março e 31 de dezembro de 2020. Elaborada pela equipe de governo juntamente com a Assembleia Legislativa, a medida vale para todos os concursos homologados pela administração direta ou indireta do Estado até a data da publicação do Decreto Legislativo 11.220, de 19 de março de 2020.

“Isso nos dá um pulmão para não ter que começar um concurso do zero, o que leva muito mais tempo”, destacou o titular da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, Claudio Gastal. O governador Eduardo Leite destacou o diálogo com deputados para encontrar soluções para os mais diversos efeitos causados pela pandemia.

Em suas manifestações, os deputados Mainardi e Neri reforçaram que a proposta é benéfica para todos os envolvidos, os próprios concursados, o governo e toda a sociedade gaúcha, já que a nova lei não impede a convocação dos aprovados nos concursos, assim como a realização de suas demais etapas e fases. Mas a manutenção da vigência dos concursos já homologados acarretaria prejuízos para a administração pública, podendo afetar serviços públicos, e também para diversos candidatos aprovados.

“A sanção da lei é uma conquista dos aprovados. Eles atuaram de forma coesa e organizada para apresentar a demanda. Desde o início, entendi que era uma medida justa para as pessoas que fizeram o concurso e extremamente adequada para a administração pública”, ressaltou Mainardi.

A sanção do PLC 165/2021 ocorreu em evento híbrido, a partir do Palácio Piratini, e contou com participação presencial ou por vídeo dos secretários Artur Lemos (Casa Civil), Marco Aurélio Cardoso (Fazenda) e Mauro Hauschild (Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo), e de diversos deputados estaduais.

Post a Comment

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.