21 agosto 2020

Voz do leitor: O que você suportará nesta campanha eleitoral?

Lannes Lopes Osório
Jornalista, Escritor, Músico e Especialista em Marketing Institucional e Político

Com a definição das eleições municipais para 15 de Novembro deste ano, e todo o contexto de mudanças na Lei, como a valorização da pré-campanha (novidade nesta eleição), novos prazos, novas exigências, mais restrições, etc, incontáveis erros por parte dos pré-candidatos já começam a aparecer. Devido ao distanciamento social, fechamento de escolas, comércios e muitos outros setores, as redes sociais se tornaram o principal advento da população para se comunicar, se informar e buscar entretenimento. Mas por outro lado, ficamos todos expostos a receber uma enxurrada de postagens irrelevantes, inconsistentes e até desrespeitosas. Isso, com certeza vai piorar a partir do dia 26 de setembro, que é quando inicia a campanha eleitoral nas ruas e na internet.

Nosso intuito nesse artigo é justamente ressaltar alguns pontos positivos que poderemos absorver, e reconhecer os negativos que precisaremos descartar de nossos celulares, computadores e até mesmo nas ruas.

A resolução N° 23.610 do Tribunal Superior Eleitoral, que dispõe sobre propaganda eleitoral, utilização e geração do horário gratuito e condutas ilícitas em campanha eleitoral, e por si só já delibera a difusão ilimitada de conteúdo. Porém deixa explícito tudo o que não é permitido.

Mas para simplificar ao nosso leitor da Gazeta, vamos tentar resumir em poucos parágrafos:

Pré-campanha -  inicia em 1º de janeiro do ano em que ocorrem as eleições – até o período das convenções, partidárias, quando as candidaturas são homologadas e o candidato passa a ter oficialmente um número e um CNPJ). A propaganda eleitoral na pré-campanha é uma novidade nesta eleição, pois segundo a Lei, é um tempo maior onde os até então “pré-candidatos” podem se apresentar à sociedade desde que dentro dos preceitos do Art 30 da Lei Eleitoral que define:   

“Não configuram propaganda eleitoral antecipada, desde que não envolvam pedido explícito de voto, a menção à pretensa candidatura, a exaltação das qualidades pessoais dos pré-candidatos e os seguintes atos, que poderão ter cobertura dos meios de comunicação social, inclusive via internet (Lei n° 9.504/1 997, art. 36-A, caput, 1 a VII e §)”.

Sendo assim, não estão cometendo crime eleitoral aqueles que vem se pronunciando na internet, dizendo-se pré-candidatos e trazendo suas propostas. Contudo, estão sujeitos ao erro aqueles que não respeitaram os seguintes preceitos da mesma Lei quando publicaram seus posts e vídeos. 

Por exemplo: quem já queimou suas frases e jargões contundentes como: “ética e atitude”, “respeito e transparência”, “por uma cidade melhor para todos”, etc, etc, não poderão usá-los na campanha.

Os que postaram logotipos, utilizaram determinadas cores repetidamente em suas artes e vídeos, não poderão repeti-las em campanha. É o que dia Lei.

“Da utilização de marcas, slogans, jogo de cores e outros argumentos de marketing que sejam utilizados na campanha – Assim, sendo utilizado um slogan na pré-campanha, o mesmo não pode ser reaproveitado na campanha. O mesmo vale para redes sociais, cores, marcas, logos e tudo mais que possa criar uma relação entre a campanha e a pré-campanha”.

Com isto, vemos que o cenário é adverso nesta eleição. Que muitas dúvidas surgirão e que a justiça eleitoral terá sim muito trabalho. Daí, é que entra o dedo dos especialistas e estudiosos de campanha para auxiliar os partidos e candidatos na minimização destes erros.

Campanha Eleitoral – inicia em 26 de Setembro e finda no dia 15 de Novembro. Neste período as coisas acontecem e junto com elas muitos problemas se apresentam.  Um erro comum e bastante grave, que deve ser evitado, está descrito no Art. 18 que diz: “São vedadas na campanha eleitoral confecção, utilização, distribuição por comitê, candidato, ou com a sua autorização, de camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas ou quaisquer outros bens ou materiais que possam proporcionar vantagem ao eleitor, respondendo o infrator, conforme o caso, pela prática de captação ilícita de sufrágio, emprego de processo de propaganda vedada e, se for o caso, pelo abuso de poder (Lei n° 9.504/1997, art. 39, § 60; Código Eleitoral, arts. 222 e 237; e Lei Complementar n° 64/1990, art. 22).”

De forma geral, utilizar de qualquer benefício, seja da máquina pública ou de um cargo ou poder econômico, para obter o sufrágio, ou seja: o voto, é crime e deve ser denunciado e punido severamente. Mas para que isso ocorra é necessário se ter provas concretas. E é justamente isso que se espera dos cidadãos neste pleito: atitude.

Porém há inúmeras outra formas de se obter essa “vantagem” sem ferir a Lei. Uma delas, muito comum utilizada entre os partidos é o candidato “boi de piranha”.
 
Segundo a literatura a expressão surgiu da necessidade de atravessar o gado em rio com piranhas. O boiadeiro deveria escolher um animal velho ou doente e colocá-lo na água em local acima ou abaixo do ponto de travessia. Enquanto as piranhas devoram o boi escolhido, os demais passam pelo rio e seguem a caminhada sem dificuldade.

Na política podemos chamar de “boi de piranha” aquele que é apresentado como “possível candidato”, somente para retirar o apoio político de outro alguém em um determinado bairro ou região. 

Então: estratégias existem muitas. Umas legais outras ilegais. E deixamos aqui uma pergunta: qual delas você suportará nesta eleição?

Um forte abraço, Lannes Lopes Osório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui, mas deixamos claro uma coisa. Não vamos tolerar bandalheiras e bagunça no blog, por que somos favoráveis ao debate, mas com respeito e educação:
- Identifique-se na hora de postar o comentário;
- Ofensas e xingamentos contra outras pessoas ou à direção do blog, não serão tolerados, além de ser passíveis de ações judiciais, com identificação dos responsáveis;
- Ao escrever, pense que o blog é seu. E que você pode ser acionado judicialmente pelos comentários;
- Não "ponha palavras" na boca dos outros, por que não vai passar;
- Quer deixar endereços web, use o cadastro na hora de comentar;
- CAIXA ALTA, erros de português ou outros semelhantes, nem pensar! Aqui não é local de gente que não está preparada para dar opinião, muito menos bagunceiros ou arruaceiros.
- O comentário tem que ser relacionado a postagem, do contrário, não será considerado.
- Denúncias de qualquer natureza, tem que ser feitas diretamente às autoridades, com a Brigada Militar pelo 190 e a Polícia Civil pelo 3232-6166.