Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Opinião do leitor: A Farsul, o Associativismo e o Futuro

Vem aí o 5º Feirão de Fraldas da Drogaria Cidade - 25 de outubro!

05-12 Festa Final de Ano Lú Couros e Rafaela Weber - show com Sandro e Cícero

Ofertaço Grazziotin - de 16 a 20 de outubro

Inauguração da filial Porto Lanches na quinta, 10 de outubro

Matrículas abertas no Colégio Perpétuo Socorro para 2020!

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça inglês e espanhol no Fisk - matrículas abertas

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Renegocie suas dívidas judiciais com a Prefeitura com o REFIS Judicial

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Poupança? É Sim, Sicredi - Aproveite para fazer a diferença em sua vida financeira

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Opinião do leitor: A Farsul, o Associativismo e o Futuro

Tarso Francisco Pires Teixeira
Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel
Vice Presidente da FARSUL

Construída a partir da necessidade de organizar a cadeia produtiva em um momento particularmente crítico de nossa história, nascia em 24 de maio de 1927 a Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul, a partir do legado de suas antecessoras, a Federação das Associações Rurais (FAR) e a pioneira Sociedade Agrícola e Pastoril, criada no distante ano de 1898, sob inspiração do diplomata e gênio político de São Gabriel, Joaquim Francisco de Assis Brasil. A criação da Farsul, em congresso no Theatro São Pedro, teve a liderança do então presidente do Estado, Borges de Medeiros. Quem conhece o suficiente a história gaúcha, sabe que Borges e Assis Brasil foram antagonistas ferozes. Mas, na linha do tempo e da história, a contribuição de ambos para a consolidação da unidade do agronegócio gaúcho foi inquestionável.



No ano em que a Farsul completa 91 anos de existência, esta ironia histórica que conciliou os esforços de dois inimigos políticos para a construção do associativismo rural, é praticamente uma síntese da missão da Farsul ao longo de mais de nove décadas: promover a unidade e o fortalecimento dos produtores rurais gaúchos, acima das divergências políticas que marcam a história do Estado, ao ponto do derramamento de sangue e do desperdício de vidas jovens. O lema que expressa o compromisso com sua causa declara que, “para a Farsul, produtor rural não tem tamanho”, para desfazer a falsa dicotomia entre a chamada agricultura empresarial e a familiar. Talvez esse lema mereça uma atualização, porque o produtor rural gaúcho tem tamanho, sim. Tamanho gigantesco na capacidade de superar adversidades econômicas, políticas tributárias injustas e, contra tudo e contra todos, construir recorde após recorde na produção de alimentos de qualidade. Talvez hoje em dia seja mais justo dizer que, “para a Farsul, todo produtor é grande”.

Os desafios hoje oferecidos ao associativismo rural não são nada desprezíveis. O fim das contribuições sindicais num país com uma cultura comunitária profundamente deficiente, e a divisão política radicalizada impossibilita até mesmo o diálogo para a construção de soluções para a Nação. É neste ambiente conflituoso que a voz da Farsul, seguindo de perto os rastros de sua própria história, precisa ecoar com firmeza em favor da serenidade, da harmonia entre contrários, e do fortalecimento das instituições. Que a Farsul continue lembrando os homens públicos de seus deveres com a causa objetiva da produção e do emprego, acima de suas ideologias ou crenças.

Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: