Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Decisão judicial impede licitação do Transporte Coletivo em São Gabriel

volta as aulas perpétuo

More com conforto no Hotel Obino de São Gabriel. Saiba mais!

Volta às Aulas da Grazziotin, aproveite e parcele em até 10x no nosso cartão

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

19 de janeiro, Vestibular Unopar 2019. Inscreva-se!

Invista no primeiro shopping center de São Gabriel

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Anúncio Sicredi novo

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Pague o IPTU em cota única e ganhe descontos! Até 11 de fevereiro

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Conheça a KJ Contabilidade Consultiva e saiba mais como fazer contabilidade com eficiência

Decisão judicial impede licitação do Transporte Coletivo em São Gabriel

Justiça suspendeu licitação do transporte coletivo urbano e rural em São Gabriel, que ocorreria na última sexta-feira. Decisão atendeu pedido do Ministério Público Estadual e Viação Sanfelice, que alegaram irregularidades na licitação (foto arquivo C7)
A licitação do transporte coletivo urbano e rural, que deveria acontecer na última sexta-feira (11), foi suspensa pela Justiça. A decisão atendeu pedido do Ministério Público Estadual e da Auto Viação Sanfelice, atual detentora do serviço que está com concessão vencida. A decisão foi emitida em 9 de janeiro onde foi alegado que as exigências de disponibilização de veículos novos com acessibilidade e que a tarifa máxima ficasse em R$ 3,34 seriam ilegais.



A decisão judicial ainda pede que um novo processo licitatório seja realizado sem as alegadas ilegalidades. A Procuradoria Jurídica do Município está apresentando Agravo de Instrumento e posterior contestação da decisão judicial que, mais uma vez, suspende a licitação.

Em nota, o prefeito Rossano Gonçalves se declarou surpreso e indignado com a decisão, e se questiona o porquê de o MP considerar “excessiva” a exigência de veículos novos, com acessibilidade e ar condicionado. “É no mínimo temerário que a Justiça e o MP considerem excessivo que o Município exija ônibus de boa qualidade para os usuários do transporte coletivo na cidade e no campo poderem fazer uso do serviço com um mínimo de dignidade e sem que a sua segurança esteja em risco”, observou.

O Chefe do Executivo reiterou que os itens de qualidade, segurança e acessibilidade exigidos no edital, são exigências que o Município tem o direito legal de estabelecer. “Qual a ilegalidade? O que deve ser objeto de análise é o cumprimento do que diz a legislação, e neste sentido, todo o processo vem sendo feito na estrita forma da lei. Confio na Justiça e não creio que estas medidas protelatórias pretendam proteger certos interesses, mas tenho certeza que prejudicará, sim, toda a comunidade. Estamos lutando há um ano e meio para tentar regularizar este serviço, e temos enfrentado interesses poderosos. Continuaremos perseguindo este objetivo, em nome do compromisso com a comunidade que mais precisa”, assinalou, via Comunicação Social da Prefeitura.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 14/01/2019 18h30
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: