Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Assassino de jornalista bageense é condenado a 20 anos de prisão

Dias 31/01, 1º e 2/02 - 2ª Festa da Cordeira e 1º Cordeiraço da Canção Nativa em Santa Margarida do Sul - prestigie!

Dia 1º de fevereiro, 9º Baile de Integração das Comunidades do Interior, nas Pontas do Salso

22-02-2020 Prestigie o Carnaval da Despertar, na Seven! Baile com Tudo di Bom. Clique aqui para mais info

Se inscreva no Vestibular de Verão da Urcamp - provas com agendamento diário

Dotto Advocacia - Cível, criminal, trabalhista, trânsito - clique aqui para entrar no site

Hospede-se na Rede de Hotéis Suárez, um hotel sempre perto de você! CLIQUE AQUI PRA FAZER SUA RESERVA

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Matricule-se no Fisk e ganhe um presente!

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Pague o IPTU 2020 em São Gabriel e tenha descontos até 10 de fevereiro!

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Inscreva-se no Valor S do Sicredi Pampa Gaúcho

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Assassino de jornalista bageense é condenado a 20 anos de prisão

Jornalista bageense foi morto em abril de 2017 em seu apartamento em Porto Alegre. Autor do crime foi condenado a 20 anos de prisão (foto arquivo pessoal)
O assassino do jornalista Tagliene Padilha da Cruz, 33 anos, foi condenado pela Justiça Estadual a 20 anos de prisão em regime fechado. A sentença foi dada nesta quarta-feira (9) em Porto Alegre, pelo juiz Sidinei José Bruzska, condenando Maurício de Souza Machado, 26 anos, pelo crime de latrocínio agravado pelo caráter hediondo do crime.



Tagliene, conhecido no meio jornalístico, foi encontrado morto em seu apartamento. Maurício matou o jornalista por asfixia mecânica. Ele foi preso 19 dias após o crime, em Carlos Barbosa. Maurício deixou o prédio, por volta da 1h da madrugada, levando um notebook, um celular, um tênis e outros pertences do jornalista. Como ele não tinha chaves da porta de acesso do edifício, precisou da ajuda de um morador para sair.


Todas as provas comprovaram que foi ele que matou Tagliene. O corpo dele foi encontrado em um edredom e com manchas de sangue na cabeça. O crime, que ocorreu em abril de 2017, chocou a comunidade bageense, visto que Tagli, como era conhecido, era egresso da Universidade da Região da Campanha (Urcamp).

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 11/01/2019 22h14
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: