Operação de força-tarefa no aterro sanitário que apreendeu e abateu suínos gerou revolta de ativistas da causa animal em São Gabriel (foto divulgação/Prefeitura de São Gabriel)

Uma operação realizada pela Prefeitura de São Gabriel na última sexta-feira (8) gerou polêmica na comunidade por conta do sacrifício de animais que estavam no Aterro Sanitário, que está em processo de desativação. Uma força-tarefa com várias instituições foi realizada nas proximidades do local e resultou em abate de animais como os porcos que existiam lá, gerando revolta por parte de ativistas da causa animal na cidade. A Prefeitura reforça que a operação foi executada conforme as normas e leis sanitárias. 

A força-tarefa envolveu a Vigilância Sanitária, Inspetorias Veterinárias Estadual e Municipal, Secretaria de Serviços Urbanos, Grupamento Ambiental da Brigada Militar, e Secretarias da Saúde, Segurança e Cidadania. No local, porcos vinham se alimentando no local, em situação que já vinha ocorrendo há muito tempo.

Segundo o Secretário interino de Segurança e Cidadania, Rogério Severo Porto, a operação identificou criações de suínos e bovinos se alimentando irregularmente dos dejetos no local, oferecendo riscos à saúde pública.  Foram apreendidos pela Inspetoria Veterinária Estadual três suínos e feitas duas advertências e uma notificação a proprietários de animais de grande porte transitando de forma irregular pelas vias públicas.

Os animais foram apreendidos pela Inspetoria Veterinária Estadual para abate e incineração, nos termos da legislação sanitária estadual e federal. A Prefeitura informa que o abate é determinado pois os mesmos são impróprios para consumo humano, devido ao consumo de dejetos, de acordo com o artigo 57 do Decreto Estadual nº 52.434/15.

A ação gerou revolta por parte de ativistas da causa animal em São Gabriel, que se manifestaram nas redes sociais. A vereadora Jana França (Podemos) emitiu nota em suas redes condenando o ato pela forma como foi procedida a apreensão dos suínos. "Sabemos que os porcos seriam de qualquer forma abatidos, que os proprietários foram alertados e que a situação do aterro não podia continuar assim, mas repudio a maneira como procederam na apreensão dos suínos, não é porque os animais foram encontrados no meio do lixo que se achem no direito de os tratar como se lixo fossem. Inclusive eles não poderiam ter sido abatidos como foi divulgado e como sempre, os pobres animais pagam pela irresponsabilidade dos seus proprietários e pela falta de conhecimento, planejamento e sensibilidade do Poder Público", sintetizou.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 12/07/2022 09h07 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Post a Comment

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.