Sentença foi lida após às 19 horas desta quinta, 7 de julho, após mais de 16 horas de julgamento, no Fórum de São Gabriel, pela presidente do júri, juíza Juliana Capiotti (foto Marcelo Ribeiro/portal Caderno7)

A Justiça de São Gabriel proclamou a sentença dos seis primeiros réus do Caso Bento, ocorrido no Natal de 2016. As sentenças saíram no começo da noite desta quinta-feira, 7 de julho, no Fórum local, condenando os acusados numa média de 20 anos de prisão cada um, onde a maioria deles foi condenada pelos crimes de homicídio qualificado e corrupção de menores. 

Adriel Gomes Corrêa e Alan Costa Rieffel foram condenados a uma pena de 21 anos e 4 meses de prisão e 20 dias e multa, cada um; Robison Carvalho Pereira, Paulo César dos Santos Ferrer a 22 anos e 11 meses e 20 dias de prisão e 20 dias e multa, cada um; Anderson Martins Pedroso a 21 anos e 4 meses de prisão e Sílvio Jobim D' Ávila a 13 anos e 4 meses de prisão. Todos em regime inicial fechado.

Eles responderam pelos crimes de homicídio qualificado (motivo torpe, meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima) e corrupção de menores. Além desses dois crimes, Adriel, Robison, Paulo e Alan também foram pronunciados pelo delito de dano. 

Presidido pela Juíza de Direito da Comarca de São Gabriel, Juliana Neves Capiotti, o Conselho de Sentença foi composto por 4 mulheres e 3 homens. Em razão da complexidade da causa, com sentença de pronúncia por delitos conexos, bem como o grande número de réus (dez ao total), defensores e testemunhas em plenário, em maio deste ano foi determinada a cisão do processo facilitando, assim, o entendimento dos jurados. Após esse primeiro júri, haverá um segundo julgamento dos outros acusados.

A acusação ficou a cargo da Promotora de Justiça Drª. Lisiane Villagrande Veríssimo da Fonseca, que usou elementos contundentes para reforçar a intenção dos réus de matar a vítima, como fotos e vídeos do fato, desqualificando a tese de que os jovens queriam vingança pela morte de João Gabriel Ferraz, que estava junto com eles e que teria agredido Bento, segundo testemunhas, o que motivou a reação do policial, que acabou disparando e atingindo o jovem, que veio a morrer na hora. 

Lisiane questionou os jurados se eles (os réus) queriam uma "vingança", "porque fizeram uso de materiais como cadeiras, cones, roda de arado, além dos 'faconaços' para matar a vítima? Será que era uma 'vingança digna' como defendem?", frisou. 

Já a defesa dos réus ficou a cargo do Defensor Público, Dr. Andrey Régis de Melo, que sustentou a tese de que os jovens agiram motivados pela morte de João Gabriel Ferraz e que não pensaram em "matar o policial", motivados por vingança. O objetivo não era inocentar os acusados, mas que eles pegassem a menor pena possível, salientou o Defensor. Ele ainda lembrou de questões administrativas do policial e demais fatores. 

O segundo júri dos outro quatro acusados - Roberto Carlos Carvalho Pereira, Giovani Castro Morback, Anderson Varreira dos Santos e Patrick Cassal Madri - acontecerá em 24 de agosto, a partir das 9 horas, no Fórum de São Gabriel.

Confira o momento do anúncio da sentença:


Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 07/07/2022 21h19
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Post a Comment

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.