Pague seu IPTU 2022 com desconto até 10 de fevereiro - Prefeitura de São Gabriel

Vestibular Permanente Urcamp - SEJA PROTAGONISTA DA SUA VIDA - INSCREVA-SE AQUI

Ecoestudos Inteligência Ambiental - Buscando um mundo mais sustentável

Dental SG - A clínica odontológica da família gabrielense

www.peruzzo.com.br - Acesse, compre e receba em casa!

Painéis Solares A Elétrica - Energia Solar em até 120x

Urbano 60 anos - Parte da família da gente!

CauzzoMais - seu acesso inteligente à saúde e a uma vida mais completa

Para tudo que o verão pede, Sicredi

Use Odontologia em São Gabriel - saúde bucal para você e sua família

Anúncio Dra Ana Paula Ross

27 novembro 2021

Oliveira Silveira também será homenageado como Doutor Honoris Causa pela UFRGS

Poeta rosariense Oliveira Silveira receberá mais um título póstumo de Doutor Honoris Causa, pela UFRGS, onde teve sua vida e formação acadêmica (foto Tania Meinerz/divulgação)

Dias após ter seu nome confirmado como Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Pampa (Unipampa), o poeta rosariense Oliveira Silveira também será homenageado com o título pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde se formou em 1966 no curso de Letras. A homenagem póstuma foi confirmada pela instituição nesta sexta-feira (26), em Porto Alegre. 

Oliveira, que é um dos idealizadores do Dia da Consciência Negra no Brasil, data que completou 50 anos de sua celebração em 2021, será o primeiro intelectual a receber a homenagem de forma póstuma. Além de trazer em seus versos a questão racial, ele foi um dos fundadores do Grupo Palmares, junto com Antônio Carlos Côrtes, Vilmar Nunes e Ilmo da Silva, que nos anos 70, iniciou a discussão da importância de parar de comemorar o 13 de maio, assinatura da Lei Áurea e passar a celebrar o 20 de novembro, data da morte de Zumbi dos Palmares. A homenagem deverá ser recebida pela filha, Naiara Silveira. 

Nascido em 1941 em Rosário do Sul, na localidade de Touro Passo, Silveira mudou-se para Porto Alegre aos 18 anos para estudar no Colégio Júlio de Castilhos e ao ingressar na UFRGS, conheceu intelectuais negros, mergulhando nos estudos e criando maior consciência sobre a questão racial. Ele lançou diversos livros de poesias, sendo que o principal deles, "Banzo, Saudade Negra: Poemas", de 1970, chamou a atenção para a situação do negro no país e no Rio Grande do Sul, vindo a ser premiado pela obra. 

Ele faleceu em 2009, mas sua obra continua viva e foi homenageado este ano, inclusive em São Gabriel, com um memorial em sua homenagem e a realização do 1º Seminário da Consciência Negra, pelo vereador Moisés Marques (PL) e o título de Doutor Honoris Causa pela Unipampa e agora, UFRGS. A estudiosa de sua obra é a professora Sátira Machado, docente de Culturas Afro-gaúchas da Unipampa. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 27/11/2021 11h22
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.