Caravana do CPERS visitou São Gabriel por meio de seu vice-presidente, Alex Saratt e da diretora Juçara Borges, para verificar a situação das escolas e conversar com professores e funcionários (fotos Marcelo Ribeiro/Caderno7)

Realizada em todas as nove regiões administrativas do CPERS/Sindicato no Rio Grande do Sul, a Caravana por #ReposiçãoJá chegou a São Gabriel na quinta-feira (25), para ouvir diretores e professores de escolas estaduais sobre a situação da educação pública, onde o sindicato vem pressionando o Governo Eduardo Leite (PSDB) após o anúncio de investimentos prometidos no "Avançar na Educação". 

Além das visitas às escolas, roteiro teve plenária na Câmara de Vereadores no final do dia

O CPERS foi representado em São Gabriel pelo 1º vice-presidente, Alex Saratt e a diretora Juçara Borges, que conversaram com a reportagem do site sobre os objetivos da caravana, que é de fazer um levantamento da situação estrutural das escolas, onde muitas delas estão em situação de precariedade e também as condições salariais de professores e funcionários de escolas, que estão há sete anos sem reajustes. 

"O governo fez muitos anúncios com o programa Avançar, mas foi só para marketing de que fez um governo 'bem-sucedido' o que não é verdade. Viemos até as escolas para verificar a situação, que é precária e mesmo com este tempo todo sem atividades presenciais, o governo Leite nada fez e tem dinheiro para isso", afirmou Saratt.

Situação precária foi verificada em escolas como o Menna Barreto (foto) e o XV de Novembro, que está com o auditório fechado há muito tempo e não foi reparado após incêndio

Na Escola Sueni, dirigida por Giovana Gonçalves, faltam funcionários para limpeza e merenda (fotos CPERS)

Durante o dia, as escolas estaduais foram visitadas e o cenário é de abandono por parte do governo estadual. Após quase dois anos de pandemia, as escolas seguem em situação precária. O governo não aproveitou o tempo em que as instituições estiveram fechadas para realizar as reformas e melhorias. Este é o panorama que tem sido encontrado pela Caravana. Na EEEM Dr. Fernando Abbott, as adversidades se acumulam. Piso com problemas e a necessária ampliação da cozinha e do refeitório são alguns deles. 

A diretora Priscilla de Andrade Bicca lamenta a perda da verba do Bird, no valor de R$ 150 mil, por incompetência do governo. “Esse recurso que iríamos ganhar, a Seduc afirmou que gestaria, mas perdemos. É só entrar no colégio e ver todos os problemas de estrutura que enfrentamos”, desabafou. 

Para Alex Saratt, a Caravana evidencia que o programa Avançar, do governo estadual, não passa de uma jogada de marketing. “Ao longo da nossa ronda constatamos que escolas com problemas elétricos, falta de água e estruturas desmoronando são padrão da gestão Leite. O governo está permitindo que as crianças retornem para as aulas em locais totalmente inadequados e muitas vezes perigosos.”

“A política de Eduardo Leite (PSDB) é de completo desmonte da escola pública. Precisamos enfrentar firmemente o governo construindo a unidade entre professores(as) e funcionários(as) de escola”, afirmou a diretora Juçara Borges. No mesmo município, a IEE Menna Barreto, que atende a quase 800 alunos, sofre desde 2011 com problemas elétricos e infiltrações. Duas salas de aula estão interditadas.

“O governo diz que não é prioridade. Já ficamos sem luz, pois o sistema elétrico não tem capacidade. Fiz levantamento de tudo”, conta o orientador Gleidevan Marques. “O governador não dialoga e nem resolve os problemas. Temos professor com licença-interesse negado. Estão tirando os nossos direitos”, ressalta a diretora Flávia Xavier Kieling.

“Vivenciamos um desmonte da educação pública. Recebemos parcos recursos, mas seguimos, apesar de todos os ataques, pois acreditamos na educação”, afirmou a diretora da EEEF Professora Sueni Goulart Santos, Giovana Gonçalves.

A escola possui  o melhor IDEB da cidade, mas sofre com o descaso. Faltam funcionários(as) para limpeza e merenda. A EEEM XV de Novembro está há quatro anos com o auditório interditado. O local é um espaço clássico da cidade, usado por toda a comunidade. Ao final do dia, uma plenária foi realizada na Câmara de Vereadores com demais educadores. O presidente do 41º Núcleo, Pedro Moacir Moreira, agradeceu aos colegas pela colaboração com as informações e externações dos dramas vivenciados pela educação estadual em São Gabriel. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro, com informações do CPERS
Data: 26/11/2021 17h14 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Post a Comment

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.