15 junho 2021

Causa animal: Ausência de entrega solene de título de cidadã bageense para policial gabrielense repercute negativamente

Patrícia Coradini foi indicada para receber o título de Cidadã Bageense pela vereadora Beatriz Souza, e pedido para sessão solene foi colocado em votação mas não foi aprovado pelo Legislativo de Bagé; ação gerou críticas da jornalista Rosane Marchetti e de Regina Fortunatti, colegas da causa (foto arquivo pessoal)

Com informações do site Em Pauta Bagé

Uma situação inusitada envolvendo a Câmara de Vereadores de Bagé a uma policial gabrielense e ativista da causa animal motivou uma publicação da jornalista Rosane Marchetti ganhou as redes sociais nesta segunda (14). A jornalista, que também é ativista da causa, expressou indignação com uma recusa de vereadores daquele Legislativo em assinar um pedido de sessão solene para a entrega do título de cidadã bageense para a policial civil Patrícia Coradini, que é de São Gabriel e preside o Núcleo Bageense de Proteção aos Animais (NBPA). 

Patrícia é natural de São Gabriel, mas trabalha há anos na Polícia Civil de Bagé, principalmente na defesa dos animais e combate aos maus tratos, foi indicada pela vereadora Beatriz Souza (PSB), também defensora da causa animal no município e teve essa indicação aprovada pelo Legislativo bageense em 2020. No entanto, o ato não foi realizado ainda por conta das restrições impostas pela pandemia e até agora, não foi entregue. O pedido para entrega foi votado na sessão de segunda-feira (14), por meio da vereadora Beatriz, mas somente quatro vereadores (Cáren Castêncio, Flavius Dajúlia, Lelinho Lopes e Marlon Monteiro, todos do PT) assinaram o pedido - o mínimo era de nove vereadores.

“Solicitei a esta Casa Legislativa para uma pessoa que está há 20 anos em Bagé, lutando pela comunidade”, manifestou Beatriz. A parlamentar reforça que, pela primeira vez é negada a realização de uma sessão solene a uma pessoa que não responde criminalmente por nenhuma ação ilegal. Uma mulher digna, que representa o Rio Grande do Sul onde ela caminhar”, afirmou. Beatriz relatou na tribuna algumas justificativas apresentadas, segundo ela, por vereadores da situação para recusar a assinar o pedido para realização da sessão solene – mas não chegou a citar nomes. 

Com a negativa, Beatriz afirmou que um ato será realizado para homenagear Patrícia - segundo o site Em Pauta Bagé, a ideia é que o ato possa ser realizado na rua. A negativa no entanto, repercutiu rapidamente. A jornalista Rosane Marchetti, que apresentou durante anos o Jornal do Almoço na RBS TV, expressou indignação com a rejeição. Ela chamou a atitude de “vergonha”. A jornalista questionou os motivos da negativa, perguntando se a ação ocorreu porque Patrícia é mulher, porque não é do partido “dos que queriam que as cruéis corridas de galgos continuassem” ou porque ela é da causa animal. 

Além de Rosane, a secretária estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Regina Becker Fortunati, que é ativista da causa animal, também se manifestou pelas redes sociais. Regina criticou a atitude dos vereadores pela recusa da realização da sessão solene e valorizou o trabalho da presidente do NBPA em defesa dos animais – em especial sobre a denúncia de desaparecimento de 79 cães. “Tu já terás o título de cidadã em meu coração e no de todas as pessoas que te conhece. A rede de proteção animal sempre estará ao teu lado na defesa de todos os animais”, enfatizou a secretária.

Em contato com a assessoria do Legislativo, a cargo da jornalista Indiara Deamici, o site obteve a seguinte nota da Câmara: "A outorga do Título de Cidadania Bageense, por meio de Decreto Legislativo, não garante a obrigatoriedade da realização de uma Sessão Solene pela Câmara de Vereadores para a entrega do mesmo ao indicado. De acordo com o Regimento Interno da Casa Legislativa, para a realização de Sessão Solene é necessária a assinatura de nove vereadores, ou seja, maioria absoluta dos vereadores componentes da Câmara". 

A informação confirmada é que são necessários nove votos para a realização de sessão solene. O fato de o certificado/diploma de Cidadania Bageense ser entregue de outra forma ou em outra oportunidade ainda não foi respondido. De qualquer forma, já repercutiu mal na região e no Estado uma negativa de homenagear uma ativista que luta pela causa animal. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 15/06/2021 09h06
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.