03 maio 2021

Saiba quais são as comorbidades que dão acesso à vacina covid-19

(foto ilustrativa)

A Prefeitura de São Gabriel informou neste final de semana o início da vacinação contra covid-19 na nova fase, abaixo dos 59 anos. A primeira etapa será para pessoas com essa idade que tenham as chamadas comorbidades (enfermidades e problemas de saúde que podem ser agravadas pelo vírus, em caso de infecção). Mas a lista divulgada pela Prefeitura se mostrou técnica e confusa para muitos, portanto, trazemos a lista "simplificada". 

Nesta primeira etapa, grávidas, puérperas (mulheres que deram a luz há pouco tempo) e pessoas com 59 anos que tiverem as comorbidades poderão se vacinar, além das pessoas com síndrome de Down e pacientes que fazem hemodiálise. Estas precisam apresentar atestado médico comprovando a doença, pois é exigência do Ministério da Saúde. 

As vacinações serão no Ginásio Chiappettão, para pessoas com 59 anos com comorbidades e no Posto Central (em frente à Santa Casa), para as puérperas e grávidas com comorbidades, pessoas com síndrome de down e pessoas em tratamento de hemodiálise.  No caso das gestantes ou que deram à luz há poucos dias, é necessário a apresentação de atestado comprovando a doença. Beneficiários que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC) que tenham comorbidades podem vacinar também, apresentando o documento comprobatório. 

A Secretaria informou que a exigência do atestado é necessária pois a lista de comorbidades, que é norma do Ministério da Saúde, é complexa. Confira a listagem das pessoas com comorbidades: 

Quem pode tomar a vacina covid-19?
- Diabéticos;
- Pneumopatia crônica grave (como fibrose cística, fibrose pulmonar, displasia broncopulmonar, asma grave que precise de uso recorrente de medicação ou hospitalização, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC como bronquite e enfisema pulmonar);
- Hipertensão (pressão alta) não controlada com uso de 3 ou mais anti-hipertensivos ou controlada com o uso de 4 classes de anti-hipertensivos;
- Hipertensão estágio 3, com pressão arterial sistólica (alta) igual ou acima de 180mmHg e/ou diastólica (baixa e em repouso) igual ou acima de 110mmHg;
- Hipertensão com lesão em órgão (coração, retina, rim, encéfalo e vasos sanguíneos);
- Hipertensão associada a comorbidade (em pessoa com obesidade, cardiopatia hipertensiva - hipertrófica ou dilatada, apneia obstrutiva do sono, hiperlidemia ou outra);
- Insuficiência cardíaca estágio B, C ou D;
- Cor pulmonale e hipertensão pulmonar;
- Doença arterial coronariana como arterosclerose;
- Valvulopatias cardíacas (problemas nas válvulas do coração);
- Portadores de próteses valvulares no coração;
- Miocardiopatias e pericardiopatias;
- Portadores de doenças de grandes vasos e fístulas arteriovenosas, como aneurismas, dissecções ou hematomas na aorta, por exemplo;
- Cardiopatia congênita no adulto, associada à repercussão hemodinâmica, arritimia, insuficiência cardíaca, entre outras;
- Doença cerebrovascular como Ataque isquêmico transitório, Acidente Vascular Encefálico, entre outros;
- Doença renal crônica;
- Pacientes que usam imunosupressores, como transplantados, soropositivos, entre outros;
- Pacientes com câncer;
- Pacientes com anemia falciforme;
- Obesos com grau três (Índice de Massa Corporal acima de 40 kg/m²;
- Pacientes com cirrose hepática em qualquer estágio.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 03/05/2021 08h52
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.