16 fevereiro 2021

Há um ano, o coronavírus chegava ao Brasil

(foto ilustrativa)

A pandemia de coronavírus avançava a passos largos pelo mundo, após surgir com força total na China. Sem respeitar fronteiras, ele chegou ao Brasil e o primeiro caso foi confirmado em 26 de fevereiro de 2020, com um homem que tinha estado na Itália, epicentro da pandemia na Europa. Foi o primeiro sinal de alerta da pandemia que infectou mais de 100 milhões no mundo e causou 2,4 milhões de mortes, sendo cerca de 239 mil no Brasil.

A Prefeitura de São Gabriel começou a se movimentar e a partir de março, tomou medidas mais radicais de acordo com as recomendações sanitárias (a partir da Organização Mundial de Saúde ter declarado a existência da pandemia, onde foi criticada por ter demorado para tomar medidas), como suspender aulas presenciais, atividades e outras ações. Mas mal se sabia as proporções que a doença tomaria no País, mas demorou tempo para que o primeiro caso fose registrado em São Gabriel, no início de abril; e a primeira morte foi mais de um mês e meio depois, em 20 de maio, com uma idosa de 92 anos.

Hoje, muitos avanços foram feitos em vários campos da saúde, apesar dos picos de contágio e a saturação do sistema de saúde, como formas de tratamento, diagnóstico, estrutura de atendimento - São Gabriel tem 20 leitos de UTI que atendem pacientes locais e de fora da cidade - além do ambulatório para sintomáticos que ainda funciona até hoje, o "gripão". 

A vacina chegou, embora a passos lentos e a grupos prioritários, deixando a população na expectativa de quando será sua vez. Mesmo com o descrédito de muitos, a imunização do maior número de pessoas possível ainda é o melhor caminho para controlar a pandemia. Mesmo com as negações, muitos se renderam aos fatos, mas outros ignoram medidas para evitar a proliferação da pandemia, como por exemplo, usar máscaras e evitar aglomerações, por exemplo. Não são raras as vezes em que a Brigada Militar e a fiscalização são chamadas para atender casos de desrespeito que continuam ocorrendo. 

No mundo, a doença já tem 61,4 milhões de recuperados e no Brasil, 8,8 milhões. Em São Gabriel, mais de 3,2 mil pacientes já estão recuperados. Estamos passando este primeiro ano de luta, apesar de muitos terem tombado nesta luta contra um inimigo invisível e que depende somente de nós, de nossa consciência para vencê-lo enquanto os meios de prevenção e cura produzidos pela ciência, que deve ser sempre saudada, não chegam a todos. Um dia e uma hora, isso tudo vai passar e voltaremos à normalidade, mais fortalecidos. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 16/02/2021 14h56
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.