Se a pandemia te atrapalhou, o REFIS te regulariza! Prefeitura de São Gabriel

Bariani Estética Automotiva - em novo endereço

www.peruzzo.com.br - Acesse, compre e receba em casa!

Painéis Solares A Elétrica - Energia Solar em até 120x

Urbano 60 anos - Parte da família da gente!

Clínica Imuniza - Muito mais do que vacinar, cuidar do seu bem estar - CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

Faça seu cartão Cauzzo e tenha os melhores profissionais para sua saúde

Sicredi-Faz-Mais-setembro.gif

Use Odontologia em São Gabriel - saúde bucal para você e sua família

Anúncio Dra Ana Paula Ross

04 fevereiro 2021

Gabriel Souza assume presidência da Assembleia Legislativa do RS

Deputado Gabriel Souza assumiu presidência da Assembleia Legislativa na manhã de quarta-feira, 3 de fevereiro (foto Joel Vargas/ALRS)

Em sessão solene na manhã desta quarta-feira (3), o deputado Gabriel Souza (MDB) foi eleito e empossado como presidente da Assembleia Legislativa no terceiro ano da 55ª Legislatura. Parlamentares, autoridades, amigos e familiares acompanharam a cerimônia realizada em formato híbrido, com a presença de convidados no Plenário 20 de Setembro, no Teatro Dante Barone e em ambiente virtual.

Além de Gabriel Souza, foram eleitos para a Mesa Diretora os deputados Kelly Moraes (PTB), como 1ª vice-presidente; Luiz Marenco (PDT), 2º vice-presidente; Valdeci Oliveira (PT), 1º secretário; Ernani Polo (PP), 2º secretário; Franciane Bayer (PSB), 3ª secretária; e Zilá Breitenbach (PSDB), 4ª secretária. Os suplentes de secretário serão os deputados Patricia Alba (MDB), Airton Lima (PL), Sergio Peres (Republicanos) e Jeferson Fernandes (PT).

Solenidade
A sessão foi aberta pelo então presidente da Casa, deputado Ernani Polo (PP), que, após a execução do Hino Nacional pelos músicos Carlos D’Lucka e Anderson de Oliveira, proferiu seu discurso de despedida. Polo refletiu sobre a necessidade de cooperação, solidariedade e união e o tema que marcou a sua gestão, a competitividade. "Se continuarmos tocando a bola para o lado, não faremos gol", ilustrou. "Se só acentuarmos as divergências, não chegaremos às convergências". 

Ele salientou o pioneirismo dos setores agro e industrial, que, "obrigados a competir com o mundo, aprenderam a superar seus próprios limites", vencendo travas culturais, acelerando a tecnologia muito antes da pandemia, internalizando conhecimento e aprimorando a sua gestão. "São modelos de rentabilidade, de sustentabilidade e de modernidade", afirmou. Muitas outras áreas, segundo Polo, fizeram o mesmo. Já os governos, segundo ele, vieram depois, mas já perceberam a necessidade de modernização, desburocratização e medidas como concessões, privatizações e parcerias público-privadas. 

Sobre o futuro presidente, disse que era "um político preparado, jovem, promissor, um quadro qualificadíssimo para presidir a Casa" e desejou-lhe sucesso e boa sorte.

Encerrado seu pronunciamento, o 2º secretário, deputado Dirceu Franciscon (PTB), leu a composição da chapa única para a Mesa Diretora 2021, eleita a seguir com 51 votos favoráveis e um contrário (da deputada Luciana Genro, do PSol). Seus integrantes ficarão à frente do Parlamento gaúcho até 31 de janeiro de 2022.

Embora pelo Regimento Interno da Assembleia a Mesa Diretora seja eleita para um período de dois anos, acordo pluripartidário prevê o revezamento do comando da Casa entre as quatro maiores bancadas ao longo da Legislatura (ao qual a deputada Luciana se opõe), uma a cada ano, o que se dá por meio da renúncia da Mesa ao fim do primeiro ano do biênio.

Pronunciamento
Em seu primeiro pronunciamento como chefe do Poder Legislativo, Gabriel Souza frisou o papel do parlamento como representante da população. “Não em sentido formal, técnico, normativo – e nem mesmo estritamente constitucional”, disse. “Falo em seu sentido popular, como pertencimento, delegação e verdadeira materialização da vontade social”.

Para o parlamentar, apesar da crise de representação que se vive hoje, o povo deseja e precisa ser representado, porém “de verdade” e não como no tempo “das instituições encasteladas, dos políticos isolados, das redomas corporativas, das ideologias cegas ou das burocracias mofadas”.

O novo presidente prometeu uma Assembleia Legislativa mais dinâmica, participativa, digital e atenta às mudanças sociais. Disse que abrirá novos meios de comunicação e participação da comunidade, por meio de suas plataformas online, e ficará mais vigilante nas discussões que interessam à sociedade. 

Dirigindo-se aos presidentes que o antecederam, Ernani Polo (PP) e Luís Augusto Lara (PTB), e ao que o sucederá, Valdeci Oliveira (PT), ressaltou os acertos da gestão compartilhada e assegurou que daria continuidade aos trabalhos na área da competitividade, assim como ao Cresce RS e a iniciativas para o desenvolvimento econômico e social. 

Ao governador Eduardo Leite, explicou que sua proposta não se resumia a “uma dinâmica de digitalização ou à criação de um app” e afirmou ser preciso repensar o modo de ver o Estado. Disse que o atual governo, ao manter a lógica de responsabilidade fiscal adotada pelo governo Sartori, do qual foi Líder na Casa, abria caminho para uma revisão ainda mais profunda do modelo de Estado. “E a pandemia, sem dúvida, nos ajudou a enxergar isso de maneira ainda mais clara”, declarou.

Ele aproveitou a oportunidade para agradecer aos profissionais de saúde com atuação na linha de frente no combate à pandemia e aos pesquisadores que enfrentaram o negacionismo em defesa da ciência, lembrou dos trabalhadores e empresários que perderam seu sustento pela quebra da economia e pediu um minuto de silêncio em respeito aos mais de 10 mil gaúchos e gaúchas vítimas da Covid-19.

Concluiu seu discurso com um trecho do pensamento do filósofo e economista Francis Fukuyama: “Será que a existência da decadência política em democracias modernas significa que o modelo geral de um regime equilibrado entre Estado, lei e responsabilidade sofreu alguma falha fatal? Esta não é, de maneira nenhuma, minha conclusão: todas as sociedades, autoritárias e democráticas, estão sujeitas à decadência com o tempo. A verdadeira questão é sua capacidade de se adaptar e, por fim, se corrigir.”

A sessão foi encerrada com a execução do Hino Rio-Grandense, interpretado pelo deputado Luiz Marenco (PDT) e Carlos D’Lucka, acompanhados por Anderson de Oliveira.

Presenças
Estiveram presentes na sessão solene o governador Eduardo Leite, os ex-governadores José Ivo Sartori e Germano Rigotto, o representante da Câmara dos Deputados, deputado federal Alceu Moreira, o vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, o presidente do Tribunal de Justiça dos Estado, Voltaire de Lima Moraes, o presidente do Conselho de Relações Institucionais do Tribunal de Justiça, Francisco José Moesch, o procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, o defensor público-geral, Antônio Flávio de Oliveira, o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, o presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereador Marcio Bins Ely, o comandante militar do Sul, general de Exército Valério Stumpf Trindade, o comandante do 5º Distrito Naval, vice-almirante Henrique Baptista de Souza, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador André Villarinho, o vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, Francisco Rossal de Araujo, o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Estilac Xavier, entre outras autoridades.

Reportagem: Agência de Notícias ALRS
Data: 04/02/2021 09h33 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.