20 julho 2020

Líder do Cozinheiros do Bem, Julio Ritta relata experiência com a covid-19

Julio Ritta se recuperou da covid-19 e relatou experiência com o vírus, mas que venceu e retoma à luta pelos mais necessitados (foto arquivo C7)
O líder do Cozinheiros do Bem, Julio Ritta, relatou a difícil experiência, mas que conseguiu passar e vencer a covid-19, onde está curado. Ele relatou o que foi vivido ao colunista de GauchaZH, Paulo Germano, e chegou a temer por sua vida, mas se recuperou e venceu. E avisa que voltará à ação de novo no final de semana, onde retomará as ações dos Cozinheiros do Bem, que já distribuiu mais de 30 mil refeições a moradores de rua nesta pandemia.

Ele disse que teve medo, mas que não iria parar. "Nossa causa é muito maior que o medo e mesmo que eu tivesse perdido essa luta gostaria de ver o projeto mais vivo ainda. Enquanto tiver forças e um pouco de saúde darei minha vida pelos invisíveis", afirmou. Julio relatou a PG que quando deu positivo, temia o pior. "Achava que era possível, sim. Fazia o teste a cada 15 dias, até para preservar quem convive comigo. Quando deu positivo, parecia uma sentença de morte. Sou do grupo de risco, né? Tenho diabetes, e a covid-19 mata gente no mundo todo. Pensei: vou morrer", acrescentando que era possível pegar, por conta de estar na rua, mas fazia testes e tomava todas as medidas e cuidados.

Sobre os sintomas, a sensação é de que o "vírus andava dentro de mim", relatando que parecia uma formiga circulando pela garganta e pulmão. "Nunca vi nada igual. Os três primeiros dias foram horríveis, eu mal levantava. Um calorão, febre, dor nas juntas, perda de olfato e paladar, calafrios na cabeça... Esses calafrios eram uma coisa bizarra. Mas o pior era a sensação de algo caminhando no organismo", relatando que a namorada e o sobrinho também pegaram o vírus e tiveram os mesmos sintomas. Para o tratamento, ele disse que os médicos receitaram um coquetel, com ivermectina, azitromicina, prednisona, AAS e vitamina D. Mesmo assim, os Cozinheiros do Bem seguiram na ativa, repassando doações para outras instituições.

Finalizando, Julio Ritta deixou um recado de que não tem como se policiar o tempo todo, mas o negócio é se expor o mínimo possível. Ele recebeu várias mensagens de força e votos de recuperação e agora, nosso lutador está de volta para ajudar a quem precisa nas ruas de Porto Alegre. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 20/07/2020 21h34 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui, mas deixamos claro uma coisa. Não vamos tolerar bandalheiras e bagunça no blog, por que somos favoráveis ao debate, mas com respeito e educação:
- Identifique-se na hora de postar o comentário;
- Ofensas e xingamentos contra outras pessoas ou à direção do blog, não serão tolerados, além de ser passíveis de ações judiciais, com identificação dos responsáveis;
- Ao escrever, pense que o blog é seu. E que você pode ser acionado judicialmente pelos comentários;
- Não "ponha palavras" na boca dos outros, por que não vai passar;
- Quer deixar endereços web, use o cadastro na hora de comentar;
- CAIXA ALTA, erros de português ou outros semelhantes, nem pensar! Aqui não é local de gente que não está preparada para dar opinião, muito menos bagunceiros ou arruaceiros.
- O comentário tem que ser relacionado a postagem, do contrário, não será considerado.
- Denúncias de qualquer natureza, tem que ser feitas diretamente às autoridades, com a Brigada Militar pelo 190 e a Polícia Civil pelo 3232-6166.