03 abril 2020

A imprensa gabrielense contra as fake news e o coronavírus

Campanhas destacam a importância da população buscar saber com a imprensa local a veracidade de boatos e informações que circulam nas redes; site Caderno7 participa de campanha de sua associação, a APNI (foto divulgação)
Com a apreensão causada pela pandemia de coronavírus em todo o mundo, a busca de informações confiáveis se tornou um desafio para muitos, principalmente pelo surgimento e difusão de notícias falsas (fake news), ainda mais em São Gabriel por vários motivos, onde pessoas com interesses escusos aproveitam o momento para semear pânico na comunidade. A imprensa gabrielense está unida e atenta no combate das fake news, com o objetivo de esclarecer a população, sejam notícias boas ou ruins. Uma coisa é certa: procure a imprensa para confirmar se uma informação é verdade ou boato.



Por meio do grupo de Whats, os profissionais de imprensa estão trocando informações e estratégias para bem informar a comunidade e desmentir informações falsas. "Ninguém é o dono da verdade, mas a obrigação da imprensa é buscar sempre a verdade, confie nos órgãos de imprensa da cidade, temos um grupo que reúne todos os profissionais de São Gabriel, onde debatemos e compartilhamos as notícias verdadeiras para repassar a comunidade e combater às fake news", postou em suas redes sociais o radialista da Rádio RBC FM e proprietário da Up TV, Uilian Pacheco.

O diretor do site Caderno7, jornalista Marcelo Ribeiro, salienta que vem falando disso há dias, sendo procurado diariamente por pessoas que buscam saber a procedência e veracidade de informações. "A gente reforça que qualquer informação que a pessoa tenha dúvida, nos procure que buscamos esclarecer e trazer a resposta do que ocorre. Tivemos boatos que insistimos junto à comunidade que não eram verdade", frisando como o caso do paciente que apresentou positivo para coronavírus, onde chegaram a "informar" que o paciente "teria ido para Porto Alegre e estaria entubado", o que não era verdade.

A Prefeitura, por meio do Diretor de Comunicação Social, Edjor Lopes Borges (Jojô), salientou que o homem de 65 anos segue em isolamento na Santa Casa, mas não possui mais os sintomas. Sobre boatos de "abafar o caso", Jojô salienta que em momento algum isso ocorreu, porque os casos tem que ser obrigatoriamente comunicados à Secretaria Estadual e ao Ministério da Saúde. "Qualquer dúvida, qualquer cidadão pode ligar para o Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN), em Porto Alegre, e saber dos resultados dos exames", frisando.


O site Caderno7 também faz parte da campanha da Associação de Portais de Notícias Independentes do Interior do RS (APNI-RS), #fakenewsnão, onde reitera que todo boato deve ser checado antes de se confirmar ou não. Fica o alerta à comunidade: em caso de qualquer dúvida, chamem a IMPRENSA de verdade, seja sites, blogs, rádios ou jornais. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 03/04/2020 11h21 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui, mas deixamos claro uma coisa. Não vamos tolerar bandalheiras e bagunça no blog, por que somos favoráveis ao debate, mas com respeito e educação:
- Identifique-se na hora de postar o comentário;
- Ofensas e xingamentos contra outras pessoas ou à direção do blog, não serão tolerados, além de ser passíveis de ações judiciais, com identificação dos responsáveis;
- Ao escrever, pense que o blog é seu. E que você pode ser acionado judicialmente pelos comentários;
- Não "ponha palavras" na boca dos outros, por que não vai passar;
- Quer deixar endereços web, use o cadastro na hora de comentar;
- CAIXA ALTA, erros de português ou outros semelhantes, nem pensar! Aqui não é local de gente que não está preparada para dar opinião, muito menos bagunceiros ou arruaceiros.
- O comentário tem que ser relacionado a postagem, do contrário, não será considerado.
- Denúncias de qualquer natureza, tem que ser feitas diretamente às autoridades, com a Brigada Militar pelo 190 e a Polícia Civil pelo 3232-6166.