Táxi Cristiano 24h - Sua opção de transporte pessoal em São Gabriel

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Sua formação não pode esperar - Ingresse na Urcamp!

Cotribá - Cooperativismo para a produtividade em São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Vem para a Unopar em São Gabriel!

Danilo Pires Assistência Técnica agora é Good Place, com o melhor em Apple

Curso Sargento Anderson - campeão de aprovações em São Gabriel e região

anúncio prefeitura sg dengue

Super Engenho São Gabriel - Mais qualidade para sua família

Foco no Futuro com a Urcamp - inscrições para o vestibular de verão abertas!

São Gabriel Saneamento - o melhor está por vir, acredite

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Urbano Alimentos - colaborando para o crescimento de São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Ajude o Rio Grande do Sul neste momento difícil! O Sicredi está nessa!

Drª Sandra Regina Marçolla Weber - na VidaMed

26 fevereiro 2020

Novos casos de mortandade de abelhas deixam produtores em alerta no RS

Casos de mortandade de abelhas estão sendo registrados no Rio Grande do Sul; suspeita é de que estejam sendo causados por uso incorreto de inseticidas em lavouras, como o fipronil (foto divulgação)
Novos casos de mortandade de abelhas no Rio Grande do Sul estão sendo recebidos pela Cooperativa dos Apicultores do Pampa Gaúcho (Cooapampa), que é presidida por Aldo Machado dos Santos. A preocupação vem da suspeita de que isso esteja sendo causado pelo uso incorreto de inseticidas em lavouras dos grãos, como é o caso do fipronil.

Aldo foi acionado por dois produtores com relatos de perdas em um município da Fronteira Oeste. São contabilizadas cerca de 300 caixas nesses locais. Em cada uma pode haver entre 50 mil e 80 mil abelhas. Como a descoberta se deu em meio ao período do Carnaval, a inspetoria veterinária da região só deve ser acionada hoje. Um dos apicultores confirma o dano, mas prefere não ser identificado até ter o registro.

A suspeita é de que as mortes podem ter sido causadas pelo inseticida fipronil, que é usado nas lavouras de grãos para matar insetos como formigas. Aplicado nas folhas das plantas, ele afeta as abelhas que venham a ter contato com o produto. "A empresa que desenvolveu o inseticida não recomenda a aplicação foliar. Tem de haver fiscalização e fazer valer isso. O apicultor está pagando essa conta", afirmou Aldo em entrevista à Zero Hora.

Ele recomenda que, em casos de mortandade, apicultores procurem a inspetoria veterinária mais próxima, além de acionar o batalhão ambiental da Brigada Militar e fazer registro na Polícia Civil. Outro ponto de preocupação, segundo o dirigente, é que as análises de casos suspeitos não estariam mais sendo realizadas.

No ano passado, coletas feitas pela Secretaria da Agricultura apontaram resíduos de agrotóxicos em 38 de 43 amostras de 32 municípios. Nos casos positivos, 36% tinham relação com fipronil.


O promotor Alexandre Saltz é o responsável pelo inquérito civil no MP. Segundo ele, ficou acertado que o Laboratório de Análises de Resíduos de Pesticidas da Universidade Federal de Santa Maria comece a analisar as abelhas, para que se tenha laudo científico, com a coleta ficando a cargo dos técnicos da Secretaria da Agricultura.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 26/02/2020 19h13 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.