Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Hora da justiça: Julgamento de assassino de Paula Schultz será nesta quarta-feira

Casa do Sofá, agora em novo endereço! Confira!

Dia 05-12 - Grande Festa Final de Ano com Sandro e Cícero, na Seven - Realização RW Saúde dos Cabelos e Lú Couros

Renova Lar Tottal - até 30 de novembro

Hospede-se na Rede de Hotéis Suárez, um hotel sempre perto de você! CLIQUE AQUI PRA FAZER SUA RESERVA

Matrículas abertas no Colégio Perpétuo Socorro para 2020!

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça inglês e espanhol no Fisk - matrículas abertas

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Renegocie suas dívidas judiciais com a Prefeitura com o REFIS Judicial

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Poupança? É Sim, Sicredi - Aproveite para fazer a diferença em sua vida financeira

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Hora da justiça: Julgamento de assassino de Paula Schultz será nesta quarta-feira

Paulinha, como era conhecida, foi morta pelo ex em março de 2018. Julgamento de Rogério Righi será nesta quarta-feira no Fórum local (foto arquivo pessoal)
Um dos casos mais rumorosos de feminicídio terá nesta quarta-feura (23), seu capítulo decisivo. A Justiça de São Gabriel julgará a partir das 9h no salão do júri, o militar da reserva Rogério Biscaglia Righi, 34 anos, pelo feminicídio de Paula Estefani Schultz Lopes Lacerda, morta em 5 de março de 2018 aos 23 anos quando ia ao trabalho. O júri será presidido pela juíza Juliana Neves Capiotti e deverá concentrar as atenções da comunidade.



Paula Schultz foi morta na Avenida Francisco Chagas, proximidades da Escola Estadual João Pedro Nunes (Poli), antes das 8 horas da manhã, quando se deslocava para o trabalho, pelo ex-companheiro. Ele a seguiu de carro e nas proximidades da escola, impediu sua passagem com o veículo, descendo do mesmo e vindo a desferir as facadas que resultaram na morte da jovem. Ele responde por homicídio qualificado por motivo torpe (sem chance de defesa e meio cruel) e feminicídio. A acusação estará a cargo da Promotora de Justiça Lisiane Villagrande Veríssimo da Fonseca. O réu será defendido pelos advogados Gustavo Segala e Tiago Battaglin.


O crime chocou a comunidade e repercutiu no Estado. Ele foi um dos crimes noticiado em reportagem especial de Zero Hora em novembro do ano passado e é uma das manchetes da edição desta segunda-feira. Paula, que era conhecida de todos na comunidade, pretendia se tornar policial militar e deixou um filho. A família espera justiça até hoje. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 21/10/2019 08h45 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: