01 agosto 2019

Presidente do IPRESG também se disse surpresa com ação da Justiça sobre atrasos

Bia Pohlmann, presidente do IPRESG, afirmou que em momento algum o Instituto quis romper as negociações com o Executivo e se declarou surpresa também com a ação do MP de São Gabriel
A liminar impetrada pelo Ministério Público para que a Prefeitura pague 4 milhões de reais por supostas dívidas com o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de São Gabriel, motivou manifestação do Instituto na manhã de hoje durante sessão da Câmara de Vereadores. A presidente do IPRESG, Fabiana Pohlmann Machado, juntamente com membros da diretoria, estiveram na Câmara falando sobre a situação.



Fabiana salientou que não partiu do IPRESG alguma denúncia que motivou a ação do Ministério Público e que não existe rompimento algum com a Prefeitura. "Ficamos sabendo de tudo através da imprensa, mas discordamos do que foi alegado pelo Ministério Público. Não há parcelamento algum em atraso, nem a contribuição dos servidores que é repassada pela Prefeitura. O que existe é a contribuição previdenciária e patronal que estava em atraso, mas está sendo pago com juros e multa, mas estas que tinham sido alegadas pela Promotora estão em dia", afirmou a Presidente.

Presidente do Instituto se manifestou durante a sessão da Câmara nesta quinta-feira, 1º de agosto
Ela afirmou ainda que se a Prefeitura atrasa algum pagamento, isto é feito com a correção de juros e multas, além de destacar que a situação do Instituto é boa e que há meses estão sendo feitas negociações que vem sendo conversadas e cumpridas para sanar os problemas do Instituto. "Teremos a inauguração da nossa sede própria em outubro, algo que foi realizado depois de anos. A Prefeitura e o IPRESG são um só, se um vai mal, o outro também e não temos problemas como afirmaram por aí. Também queremos esclarecer esta questão", concluiu.


Bia afirmou que o Ipresg tem hoje mais de R$ 64 milhões em patrimônios e hoje possui uma lei própria com autonomia para formar seu próprio quadro de pessoal, as diárias dos diretores, que segundo ela, vem sendo reduzidas em 80%, além de custos em material e cursos.

A questão surgiu nesta quarta-feira, 31 de julho, quando a Justiça de São Gabriel deferiu liminar para o Ministério Público local, que exigiu pagamento de 4 milhões de reais da Prefeitura ao IPRESG, sob a alegação de que não estão sendo feitos repasses para o pagamento de contribuições e da dívida do Instituto, o que foi rechaçado pela Prefeitura Municipal no mesmo dia, onde afirma estar em dia com a autarquia previdenciária dos servidores municipais.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 01/08/2019 17h38 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui, mas deixamos claro uma coisa. Não vamos tolerar bandalheiras e bagunça no blog, por que somos favoráveis ao debate, mas com respeito e educação:
- Identifique-se na hora de postar o comentário;
- Ofensas e xingamentos contra outras pessoas ou à direção do blog, não serão tolerados, além de ser passíveis de ações judiciais, com identificação dos responsáveis;
- Ao escrever, pense que o blog é seu. E que você pode ser acionado judicialmente pelos comentários;
- Não "ponha palavras" na boca dos outros, por que não vai passar;
- Quer deixar endereços web, use o cadastro na hora de comentar;
- CAIXA ALTA, erros de português ou outros semelhantes, nem pensar! Aqui não é local de gente que não está preparada para dar opinião, muito menos bagunceiros ou arruaceiros.
- O comentário tem que ser relacionado a postagem, do contrário, não será considerado.
- Denúncias de qualquer natureza, tem que ser feitas diretamente às autoridades, com a Brigada Militar pelo 190 e a Polícia Civil pelo 3232-6166.