Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Indígenas montam acampamento na área onde tombou Sepé

2ª Turma do Curso Preparatório para Vila Nova do Sul com a Aurora Cursos, clique aqui para saber mais

Dias 31/01, 1º e 2/02 - 2ª Festa da Cordeira e 1º Cordeiraço da Canção Nativa em Santa Margarida do Sul - prestigie!

Dia 1º de fevereiro, 9º Baile de Integração das Comunidades do Interior, nas Pontas do Salso

22-02-2020 Prestigie o Carnaval da Despertar, na Seven! Baile com Tudo di Bom. Clique aqui para mais info

Se inscreva no Vestibular de Verão da Urcamp - provas com agendamento diário

Dotto Advocacia - Cível, criminal, trabalhista, trânsito - clique aqui para entrar no site

Hospede-se na Rede de Hotéis Suárez, um hotel sempre perto de você! CLIQUE AQUI PRA FAZER SUA RESERVA

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Matricule-se no Fisk e ganhe um presente!

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Pague o IPTU 2020 em São Gabriel e tenha descontos até 10 de fevereiro!

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Inscreva-se no Valor S do Sicredi Pampa Gaúcho

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Indígenas montam acampamento na área onde tombou Sepé

Indígenas montaram acampamento na área em que tombou Sepé Tiaraju, na Rua Juca Tigre, desde domingo
Uma cena chama a atenção nos últimos dias, para quem passa em frente ao ponto onde tombou o líder indígena Sepé Tiaraju, na Rua Juca Tigre. Um grupo de indígenas vindos de Tenente Portela montou uma espécie de barraca abaixo do oratório missioneiro que existe ali e estão em moradia, onde pretendem ficar até a Páscoa. A cena divide opiniões na comunidade e a Secretaria de Assistência Social informou que todo o suporte está sendo dado, mas eles não podem ser retirados dali.



A reportagem conversou com uma das integrantes, que relatou que chegaram no domingo ali para venda de artesanatos na comunidade. "Chegamos no domingo, conversamos com o pessoal da Prefeitura, umas dez pessoas e vamos passar a Páscoa aqui. Nós temos nossas moradias, a cada período a gente sai para vender nossas artes. Só estamos precisando de mais uma barraca, porque vai chover", disse a indígena Luciana, que estava no local e informou que os demais colegas estavam nas proximidades, colhendo madeira para montar outra barraca com lonas.

Prefeitura informa que está dando suporte e fornecendo alimentação e roupas aos indígenas, mas por força de lei, não podem ser removidos do local. Eles ficarão até a Páscoa
O que diz a Prefeitura?
Conversamos na manhã desta quinta-feira com a Secretária de Assistência Social, Karen Lannes, que confirmou que está sendo dado o suporte aos indígenas, como sempre é feito, mas que devido à legislação regida pela FUNAI, eles não podem ser removidos dali. "A FUNAI deixa claro que eles não podem ser tirados dali, oferecemos hospedagem, mas eles não quiseram", explica. Karen informa ainda que está sendo dada alimentação e roupas aos indígenas, assim como o acesso ao Restaurante Tá na Mesa é liberado.


"Eles nos informaram que ficarão até a Páscoa, estamos dando suporte no que for necessário, como alimentação, roupas e calçados. Também foi oferecida moradia e hospedagem, mas eles recusaram todas, nossa parte está sendo feita", finalizou. Alguns leitores cobraram providências, mas esta é a informação correta: eles não podem ser removidos dali porque as leis amparam. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 04/04/2019 11h43
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: