02 janeiro 2019

Mulher sofre tentativa de feminicídio no começo de 2019

Fato aconteceu no Asilo São João no final da tarde de terça-feira, quando homem pulou muro e esfaqueou mulher que trabalhava no momento do crime. Ele teria alegado ciúmes para cometer crime (foto arquivo C7)
Uma mulher sofreu uma tentativa de feminicídio no final da tarde de terça-feira (1º), no Asilo São João. Segundo a Brigada Militar, o fato aconteceu por volta das 17h45, quando o homem, ex-companheiro da vítima, que trabalha como cuidadora de idosos, pulou o muro do local e atacou a vítima com duas facadas e fugiu.



Ele foi localizado pouco tempo depois na sua casa, no Bairro Independência, quando chegou em casa e foi imobilizado pelos policiais. A arma do crime estava com ele. O acusado vivia há 12 anos com a vítima e alegou ciúmes para a motivação do crime. A vítima está em estado grave na Santa Casa de Caridade. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 02/01/2019 08h32 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui, mas deixamos claro uma coisa. Não vamos tolerar bandalheiras e bagunça no blog, por que somos favoráveis ao debate, mas com respeito e educação:
- Identifique-se na hora de postar o comentário;
- Ofensas e xingamentos contra outras pessoas ou à direção do blog, não serão tolerados, além de ser passíveis de ações judiciais, com identificação dos responsáveis;
- Ao escrever, pense que o blog é seu. E que você pode ser acionado judicialmente pelos comentários;
- Não "ponha palavras" na boca dos outros, por que não vai passar;
- Quer deixar endereços web, use o cadastro na hora de comentar;
- CAIXA ALTA, erros de português ou outros semelhantes, nem pensar! Aqui não é local de gente que não está preparada para dar opinião, muito menos bagunceiros ou arruaceiros.
- O comentário tem que ser relacionado a postagem, do contrário, não será considerado.
- Denúncias de qualquer natureza, tem que ser feitas diretamente às autoridades, com a Brigada Militar pelo 190 e a Polícia Civil pelo 3232-6166.