Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Cuba deixa o programa Mais Médicos no Brasil

Colégio Perpétuo Socorro, 110 anos de história a serviço da educação

Papelaria Saldanha agora em novo endereço

Vem aí a CVC em São Gabriel, a partir de 3 de junho

Inaugura nesta quinta em São Gabriel Lojão dos 10 Reais

Prestigie o Jantar De Mãos Dadas, da Despertar e Voluntárias do Lar São João

Inscreva-se para o Vestibular de Inverno da Urcamp - aproveite as oportunidades

More com conforto no Hotel Obino de São Gabriel. Saiba mais!

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça sua Pós-Graduação na Unopar

Jogue Limpo com a sua Cidade - Prefeitura de São Gabriel

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Sicredi Pampa Gaúcho - Juntos geramos desenvolvimento para todos

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Participe das aulas de musicalização com as Tolerantes

Cuba deixa o programa Mais Médicos no Brasil

Cuba anuncia que deixará o programa Mais Médicos no Brasil, com alegação de que o futuro presidente fez "declarações ameaçadoras e depreciativas". Jair Bolsonaro alegou que o governo cubano não aceitou as condições para seguir no programa (foto Karina Zambrana/ASCOM)
O governo de Cuba informou nesta quarta (14) que deixará o programa social Mais Médicos, onde o país caribenho enviava profissionais ao Brasil desde 2013 para atender regiões carentes do país sem cobertura médica. A alegação do Ministério da Saúde de Cuba é que o presidente eleito Jair Bolsonaro teria feito "declarações ameaçadoras e depreciativas"; Bolsonaro, por sua vez, disse que o governo cubano não aceitou as condições estabelecidas para manter o programa no País.



"O Ministério da Saúde Pública de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do Programa Mais Médicos e assim comunicou a diretora da Organização Panamericana de Saúde e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam a iniciativa", diz a nota do governo cubano.

Bolsonaro, em seu programa de governo, salientou que os médicos cubanos que passassem no Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira), que é exigido de formados no exterior que queiram exercer a medicina no país, poderiam permanecer no Brasil e receber a integralidade que não seria paga pelo governo cubano.

“Condicionamos a continuidade do programa Mais Médicos à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou”, escreveu o presidente na rede social Twitter. Bolsonaro alega que os médicos cubanos recebem uma pequena parte do que é pago pelo Governo Brasileiro à Cuba. O Ministério da Saúde transfere à Opas (Organização Panamericana de Saúde) o valor de de R$ 11.520, que repassa aos profissionais cubanos cerca de R$ 3 mil. A diferença fica com o governo de Cuba.

O comunicado não diz que data os médicos cubanos deixarão o programa no Brasil. O Programa Mais Médicos é aplicado em São Gabriel desde 2013, na gestão do então prefeito Roque Montagner (PT) e foi um dos pontos da campanha política municipal de 2016. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro, com informações do portal G1 
Data: 14/11/2018 15h28
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: