Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Prefeito é agredido verbalmente por militantes partidários em reunião do PDT na capital

Vem aí a 2ª edição do Feirão de Fraldas da Drogaria Cidade, 29 de março em todas as filiais

More com conforto no Hotel Obino de São Gabriel. Saiba mais!

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

19 de janeiro, Vestibular Unopar 2019. Inscreva-se!

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Anúncio Sicredi novo

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Prefeito é agredido verbalmente por militantes partidários em reunião do PDT na capital

Confusão começou quando Rossano (ao fundo) foi vaiado por militantes contrários a sua posição de apoio a Sartori e ele respondeu; eles não gostaram e tentaram partir para vias de fato contra o Prefeito de São Gabriel (na foto, um careca e outro de roupa xadrez), mas foram contidos por filiados (foto reprodução C7)
A reunião do PDT em Porto Alegre quase terminou em briga na última segunda-feira (15), na sede estadual do Partido. Isso tudo porque militantes de um coletivo ligado à esquerda no PDT não concordaram com o posicionamento do Prefeito de São Gabriel, Rossano Gonçalves, que defendia o apoio do partido à reeleição de José Ivo Sartori (MDB). Um vídeo circula nas redes sociais, mostrando o momento que Rossano discursa e começa a ser ofendido verbalmente. O Prefeito conversou com a reportagem no começo da tarde desta quarta-feira e falou sobre o caso.



Durante a sua manifestação, onde Rossano defendia o apoio à continuidade do Governo Sartori para o reequilíbrio das finanças, começaram a ecoar manifestações contrárias, vaias e xingamentos. Ao ser chamado de "fascista", Rossano se invocou e chamou os contrários para que "viessem se identificar e repetir o que disseram". "Quem me chama de fascista, venha cá que eu vou identificar e mostrar para vocês que a Justiça impera neste país. Quem é macho aí?", desafiou ao grupo, que veio aleivosamente reagir às manifestações de Rossano.

A partir da resposta, um grupo de partidários desceu disposto a agredir Rossano pela resposta e um grupo do "deixa disso" interviu no que seria uma briga, evitando que a questão chegasse às vias de fato. "Expressei minha posição sobre o apoio ao Governo Sartori, explicando que estados como Santa Catarina, Paraná e São Paulo se equilibraram, evoluíram e tomaram distância do Rio Grande do Sul ao reeleger seus governos. Este grupo, identificado como de um tal de 'Coletivo Marighella' (o coletivo A Marighella, que defende o voto nulo no segundo turno), formado por gente que era do PT e PC do B, começou a me insultar e eu respondi, querendo saber quem eram os cidadãos que tinham coragem de divergir de mim e partir para a baixaria, aí apenas respondi e não ia me furtar de minhas opiniões, mas não chegou às vias de fato", afirmou.

Ele vai pedir que a direção estadual do partido se manifeste com um desagravo ao ocorrido e representará judicialmente contra os agressores. " “Não serei medido pela régua de gente que não tem o menor compromisso com a democracia, e que se levanta para tentar silenciar a divergência. Todos estão sendo devidamente identificados, e responderão na forma da lei. Não serei calado por quem não suporta o contraditório. O futuro do Rio Grande não admite a covardia do silêncio”, finaliza. O vídeo, que se espalhou rapidamente pelas redes sociais, mostra que mesmo com a intimidação, Rossano não recuou e estava disposto a enfrentar os agressores. Confira abaixo o momento da confusão:


Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 17/10/2018 15h01
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: