Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Parcelamento da dívida de água do município é tema de debate entre vereadores e diretor da São Gabriel Saneamento

05-12 Festa Final de Ano Lú Couros e Rafaela Weber - show com Sandro e Cícero

Ofertaço Grazziotin - de 16 a 20 de outubro

O Poder da Clareza - 17 de outubro em São Gabriel

Inauguração da filial Porto Lanches na quinta, 10 de outubro

12 de outubro - Dia de Nossa Senhora Aparecida - lembrança do Colégio Perpétuo Socorro

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça inglês e espanhol no Fisk - matrículas abertas

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Renegocie suas dívidas judiciais com a Prefeitura com o REFIS Judicial

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Poupança? É Sim, Sicredi - Aproveite para fazer a diferença em sua vida financeira

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Parcelamento da dívida de água do município é tema de debate entre vereadores e diretor da São Gabriel Saneamento

Reunião sobre parcelamento de dívida aconteceu na manhã de segunda, no Gabinete da Presidência (foto Felipe Oliveira)
O Projeto de Lei que prevê a quitação da dívida de água que o município possui com a empresa São Gabriel Saneamento, no valor de R$ 2 milhões, foi tema de debate no parlamento gabrielense, na manhã desta segunda-feira. Os vereadores receberam o Gerente da Unidade, Luiz Bertazzo, na sala da presidência, para ouvir o posicionamento da empresa sobre o parcelamento da dívida.


A reunião contou com a presença do presidente Vagner Aloy, o Maninho (PSDB), e dos vereadores Antônio Bertazzo (PDT), Cilon Lisoski (PR), Felipe Abib (PT), Éder Barboza (PT), André Focaccia (PSD), Adão Santana (PTB), Renato Silveira (SD) e Evaristo de Oliveira (PPS).

O encontro foi convocado a pedido do vereador Felipe Abib que, através da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), solicitou informações a empresa sobre o perdão da dívida e o abatimento de 50% da tarifa para as Unidades de Saúde e de Educação pleiteados pelo município na gestão do então prefeito Roque Montagner.

Em resposta a empresa informou que condicionou a aprovação desta proposta a AGESG, agência reguladora do serviço, que acabou negando o pedido devido ao impacto que o reequilíbrio econômico financeiro causaria na conta da água. “A empresa não pode arcar com este ônus, e o valor acabaria sendo repassado ao consumidor final”, argumenta Luis Bertazzo.

O valor acumulado de dezembro de 2012 a janeiro de 2018, que chega a aproximadamente R$ 2 milhões, já devidamente corrigido e acrescido de juros e multa, deverá ser parcelado em 80 parcelas mensais fixas, iguais e sucessivas, no valor de R$ 25 mil cada uma, com vencimento inicial em 15 de maio de 2018, sendo o vencimento das demais a cada trinta dias. O projeto entra em votação na Câmara nos próximos dias.

Reportagem: Felipe Oliveira/Assessoria Câmara de Vereadores 
Data: 10/04/2018 18h58
Contato: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: