Inaugura no próximo dia 10 de dezembro, em São Gabriel, A Legítima Super 20

Vem para o Natal da Tottal Casa & Conforto

A partir de segunda-feira, 12 de novembro, LaborCito com filial!

Vem aí o Reveillon Gaudério no CTG Querência Xucra, com animação de Os Serranos, 29 de dezembro

Colégio Perpétuo Socorro - matrículas abertas a partir de 19 de novembro

Invista no primeiro shopping center de São Gabriel

Confira os novos cursos na Unopar São Gabriel

Colabore para uma cidade limpa - Jogue Limpo com a sua Cidade

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Anúncio Sicredi novo

Oficina de Costura

Rádio RBC FM - A emissora da comunidade

Chega de pagar caro na sua conta de luz. Ecotec Energy

Vem aí a Festa de Natal do EC Real, em 19 de dezembro

Carnaval 2018: Beija-Flor é a campeã no Rio de Janeiro

Com um enredo que falou sobre Frankenstein, mas que partiu para a crítica ao momento vivido pelo Brasil, Beija-Flor foi a campeã do Carnaval do protesto no Rio de Janeiro (foto Alexandre Durão/G1)
O Carnaval carioca, marcado por mensagens de protesto nos enredos em várias escolas de samba, consagrou a Beija-Flor de Nilópolis como grande campeã de 2018. Com o enredo "Monstro É Aquele Que Não Sabe Amar (Os Filhos Abandonados da Pátria Que Os Pariu)", a escola fez um paralelo da história de Frankenstein de Mary Shelley, que completa 200 anos em 2018, com o momento que vive o Brasil, com protestos em todos os ângulos e servindo também como um desabafo perante a incompetência política e a corrupção.



A maior surpresa também foi a Escola de Samba Paraíso do Tuiuti, onde depois de problemas no ano passado, também levou um enredo polêmico e também que serviu como desabafo dos brasileiros, ficando como vice-campeã. "Meu Deus, Meu Deus, Está Extinta a Escravidão?", onde a entidade falou da escravidão e de outras formas, como a reforma trabalhista e uma crítica forte contra o Presidente Michel Temer, que foi representado por um vampiro em um carro alegórico, além de uma ironia aos manifestantes que pediram o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), considerados "fantoches", um desabafo daqueles. O desfile da entidade entrou para a história, dentro do Carnaval mais politizado já visto nos últimos tempos.

A Beija-Flor fez uma série de críticas políticas, num paralelo entre o romance de terror Frankenstein (1818), da Mary Shelley, que completa 200 anos em 2018, com o momento vivido pelo Brasil. Os temas escolhidos pela Beija-Flor foram desde corrupção, com um carro que representava o Congresso Nacional e repressão nas favelas, a liberdade sexual com a cantora Pabllo Vittar como destaque, criticando a corrupção, intolerância, desigualdade e incompetência política, onde o maior prejudicado é o povo brasileiro. Embora considerada pelos críticos que a escola deixou para trás as fantasias carnavalescas, os jurados não viram isso e entenderam a mensagem passada pela escola, que foi um verdadeiro desabafo pelo momento que o Brasil vivencia.

Para o grupo especial, acabaram rebaixadas Grande Rio e Império Serrano. Confira o resultado final de um dos Carnavais onde as entidades "soltaram o verbo" em nome do povo brasileiro:

1º Beija-Flor - 269,6
2º Paraíso do Tuiuti 0 269,5
3º Salgueiro - 269,5
4º Portela - 269,4
5º Mangueira - 269,3
6º Mocidade - 269,3
7º Unidos da Tijuca - 269,1
8º Imperatriz - 268,8
9º Vila Isabel - 268,1
10º União da Ilha - 267,3
11º São Clemente - 266,9
12º Grande Rio - 266,8*
13º Império Serrano - 265,6*

*Rebaixadas para a Série A em 2019

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 14/02/2018 17h33
Contato: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: