Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Há anos em busca de apoio, Conselho Tutelar busca valorização do Poder Público

Prestigie o 45º Remate da Cabanha Santa Maria, em 7 de outubro, durante a 85ª Expofeira de São Gabriel

Dia 6 de outubro - a festa mais colorida do ano em rosário do Sul - Glow in the Dark 2

Festejos Farroupilhas de São Gabriel - confira a programação

Dia 19 de setembro, Fandango Tradicional do CTG Tarumã - animação com Garotos de Ouro

Faça o seu UnimedCARD, menos de 30 centavos por dia!

Setembro, mês da bíblia - Colégio Perpétuo Socorro

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça inglês e espanhol no Fisk - matrículas abertas

Tchê Burger - Vai um tchê aí? Seu novo delivery de lanches em São Gabriel

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

More com conforto no Hotel Obino de São Gabriel. Saiba mais!

Renegocie suas dívidas judiciais com a Prefeitura com o REFIS Judicial

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Máquina de cartões Sicredi - a máquina que vem com um parceiro de negócios

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Gás Querência - promoção apenas 75 reais o botijão, no dinheiro

Há anos em busca de apoio, Conselho Tutelar busca valorização do Poder Público

Conselho Tutelar de São Gabriel está em novo endereço, mas ainda precisa ter adaptações na estrutura para oferecer um bom serviço à comunidade gabrielense
Há anos estabelecido na comunidade gabrielense, o Conselho Tutelar local ainda busca uma melhor estruturação e valorização para poder trabalhar pelo município. Transferido para uma nova sede, o órgão responsável pela aplicação de medidas de proteção para crianças, adolescentes e acompanhamento dos pais, ainda busca o reconhecimento do Poder Público. Segundo o Conselheiro Filipe Ferreira, tudo o que é realizado é com o objetivo de que "apenas funcione adequadamente e não é de hoje", afirmou. Um desabafo em redes sociais chamou a atenção da situação do Conselho.



Órgão funcionou muitos anos nesse local, que já enfrentava precariedade

Novo local, embora seja mais amplo, precisa ainda de adaptações na internet e telefone, entre outras
O Conselho está em uma nova sede na mesma rua, Coronel Sezefredo, 361, mas muitas das demandas buscadas junto ao Poder Público local só são conseguidas por ações civis públicas, ou seja, pela judicialização. "Não é de hoje que temos necessidade estrutural para poder fazer um bom trabalho e só conseguimos o que queremos por via judicial, ou seja, nada de vontade própria do município. Já pedimos por exemplo, a transferência do telefone há 60 dias e ainda não fomos atendidos", explicando que do patrimônio existente, os mobiliários foram doados pelo Ministério Público e um dos computadores repassados pelo Governo Federal.

Filipe também relata que o Prefeito Rossano Gonçalves ainda não se reuniu com a chamada "Rede de Proteção" - órgãos como o Conselho, CREAS, CRAS, entre outros - para conhecer as atribuições e definir propostas de ação. "Ainda aguardamos que o Prefeito nos receba, para poder conversar e receber nossos anseios", explica. Ele ainda informou que o local onde está o Conselho não recebeu a adequação predial necessária e que a falta de uma estrutura adequada para o órgão não vem de hoje - o local anterior onde o CT estava apresentava vários problemas. Ele também destaca que apesar da boa vontade da Secretária de Assistência Social, Karen Lannes, muitas decisões dependeriam do Prefeito.

Conselheiro Filipe Ferreira informou que demandas só vem por ações judiciais e que apenas quer que o órgão desenvolva um trabalho melhor para a comunidade
"Já viemos pedindo há anos, mas tudo o que a gente consegue, é por ações judiciais. Estamos tentando atualizações na Lei que nos rege, que é a 2.697/2003 e que não é cumprida. Inclusive cobramos o Poder Legislativo para que se cumpra a lei, mas os vereadores não se manifestam", afirmando que isso só ocorre porque se parte para a judicialização, o que quer dizer que a lei não é cumprida.

Filipe finaliza dizendo que isso tudo é para que o Conselho Tutelar possa desenvolver um bom trabalho. "O Conselho não é de partido, nem de gestão alguma, mas da comunidade gabrielense, a gente só quer condições para agir e fazer um bom trabalho", concluiu. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 19/07/2017 19h07 
Contato: (55) 3232-3766 / 996045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: