22 junho 2016

Coca, Ambev e Pepsi darão fim à distribuição de refrigerantes para escolas

(foto divulgação)
As empresas Coca-Cola, Ambev e Pepsi firmaram um acordo inédito para o fim da distribuição e venda de refrigerantes em escolas do País, para crianças até 12 anos. A medida atende o cumprimento da legislação do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), que para melhorar a qualidade de vida na alimentação dos alunos, restringiu o consumo de refrigerantes.



Pelo acordo, elas passarão a vender "apenas água mineral, suco com 100% de fruta, água de coco e bebidas lácteas que atendam a critérios nutricionais específicos". A medida foi bem vista por educadores e pais, pois os refrigerantes contém alto teor de açúcar, considerado porta de entrada para problemas como obesidade e diabetes. O mercado de refrigerantes enfrenta queda no setor, sendo que em 2015, a produção caiu 5,9% no País.


Fonte: G1
Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 22/06/2016 13h30 
Contato: (55) 3232-3766 / 96045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui, mas deixamos claro uma coisa. Não vamos tolerar bandalheiras e bagunça no blog, por que somos favoráveis ao debate, mas com respeito e educação:
- Identifique-se na hora de postar o comentário;
- Ofensas e xingamentos contra outras pessoas ou à direção do blog, não serão tolerados, além de ser passíveis de ações judiciais, com identificação dos responsáveis;
- Ao escrever, pense que o blog é seu. E que você pode ser acionado judicialmente pelos comentários;
- Não "ponha palavras" na boca dos outros, por que não vai passar;
- Quer deixar endereços web, use o cadastro na hora de comentar;
- CAIXA ALTA, erros de português ou outros semelhantes, nem pensar! Aqui não é local de gente que não está preparada para dar opinião, muito menos bagunceiros ou arruaceiros.
- O comentário tem que ser relacionado a postagem, do contrário, não será considerado.
- Denúncias de qualquer natureza, tem que ser feitas diretamente às autoridades, com a Brigada Militar pelo 190 e a Polícia Civil pelo 3232-6166.