Desfrute de um espetinho gostoso na Mas Bah Tchê Churrasquinho Gourmet em São Gabriel!

Táxi Cristiano 24h - Sua opção de transporte pessoal em São Gabriel

Conforto que cabe no bolso - Íbis Budget Porto Alegre

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Sua formação não pode esperar - Ingresse na Urcamp!

Cotribá - Cooperativismo para a produtividade em São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Vem para a Unopar em São Gabriel!

Danilo Pires Assistência Técnica agora é Good Place, com o melhor em Apple

Curso Sargento Anderson - campeão de aprovações em São Gabriel e região

anúncio prefeitura sg dengue

Super Engenho São Gabriel - Mais qualidade para sua família

Foco no Futuro com a Urcamp - inscrições para o vestibular de verão abertas!

São Gabriel Saneamento - o melhor está por vir, acredite

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Urbano Alimentos - colaborando para o crescimento de São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Conheça todos os benefícios do Seguro de Vida Sicredi Essência!

Drª Sandra Regina Marçolla Weber - na VidaMed

Gráfica F1 - Comunicação Visual e Gráfica Offset com qualidade e bom preço!

01 maio 2013

Fato Consumado: O dia em que a torcida brasileira morreu


Marcel da COHAB
Colunista do blog

Sempre fui uma criança que gostava de ver esportes na TV. Não só o futebol, mas o boxe, basquete, vôlei e a fórmula 1. Aquele 1 de maio de 1994, um domingo, estávamos sem luz na cidade, por boa parte do dia. Não vimos a última corrida de Ayrton Senna. Talvez Senna tenha sido o segundo maior esportista do País, atrás do Pelé, mas como pessoa, creio que é o maior. Um cara que ajudava aos outros, aos colegas, crianças, não criava polêmicas e brigava por sua categoria, o automobilismo.


Senna: 19 anos em que a torcida brasileira morreu.
Com sua morte, o orgulho pelo país foi junto.
Talvez essa seja a maior tragédia em nosso esporte, mesmo que o País do futebol sempre lembre do "Maracanazzo" de 1950 e da "Tragédia de Sarriá" em 1982. As "tragédias" futebolísticas ficaram na história, mas a de 1o. de maio de 1994, tirou uma vida, nos tirou um ídolo, tirou a graça do esporte e o talento de um gênio, o maior piloto de todos os tempos, em tempos de Prost, Mansell, Piquett, Patrese e outros monstros sagrados. Hoje a F1 está equilibrada, mas o nivelamento é por baixo. 

Valia a pena acordar cedo domingo, valia a pena ficar até de madrugada. Valia a pena torcer.

Senna morreu em Ímola no domingo, mas já na sexta um outro piloto morrera em um treino e Senna questionava as condições de segurança da F1, tendo liderado uma rebelião dos pilotos.

Tentei ver fórmula 1 depois mas faltava a vontade de torcer e faltava o talento. 

Há 19 anos morreu um brasileiro, um ídolo, um gênio, um mito, um jeito de torcer com o coração.


0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.