Caderno7 na Expointer - banner redes sociais

03-09 Jantar-baile Os Monarcas - CTG Querência Xucra

Opinião do leitor: Generalizar também faz mal

Francisco Turra
Presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e ex-ministro da Agricultura

O Brasil detém 36% da exportação global de frango, e a carne suína segue se consolidando e abrindo novos mercados. Ao todo, mais de 160 nações compram essas variedades de proteína animal de nosso país. Não por obra do acaso somos referência em qualidade e status sanitário. Não seria possível atingir esse patamar e superar adversários competitivos sem uma reputação sólida, amparada por um trabalho sério.


Após a operação da Polícia Federal, no final da semana passada, fomos tomados por uma avalanche de notícias, reais e fictícias, que semearam desconfiança e temor. Como saber se é seguro consumir a carne produzida no país diante dos fatos alardeados? Pois bem, é hora de separar o joio do trigo. Fui ministro da Agricultura, percorri diversos países, mostrando a qualidade dos nossos produtos. E posso atestar: casos pontuais não enterrarão uma história construída com dedicação e competência.

A própria investigação aponta que as irregularidades são pequeníssimas frações dentro de um universo gigantesco. Ao todo, 21 plantas são alvo da iniciativa em um contexto de mais de 4.800. Para seguir no raciocínio matemático, representam apenas 0,004%.

Falhas que venham a ser comprovadas não refletem o trabalho de empresas comprometidas em oferecer produtos de excelência. Eles são auditados continuamente, tanto por órgãos nacionais como por técnicos de mais de 160 países importadores. Além disso, legislações internas e globais regem o trabalho realizado pelas agroindústrias.

Nossa posição de destaque internacional não chegou à toa. Esse é o resultado de um trabalho de toda a cadeia produtiva, desenvolvido por organizações que investem forte em pesquisa e tecnologia e por profissionais cada vez mais especializados. Com isso, conquistamos até as nações mais exigentes do planeta.

A operação prestou um grande serviço ao desvendar os crimes que estavam sendo cometidos. As vítimas são as mais diversas: consumidores, companhias que sempre agiram com correção e mais de 4 milhões de trabalhadores. Que os criminosos sejam punidos. Esperamos também que a investigação aponte detalhadamente os infratores, sob pena de dar sequência a essa injusta generalização. Com responsabilidade, corrigindo o que precisa ser corrigido, o Brasil vai avançar.
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: