Táxi Cristiano 24h - Sua opção de transporte pessoal em São Gabriel

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Sua formação não pode esperar - Ingresse na Urcamp!

Cotribá - Cooperativismo para a produtividade em São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Vem para a Unopar em São Gabriel!

Danilo Pires Assistência Técnica agora é Good Place, com o melhor em Apple

Curso Sargento Anderson - campeão de aprovações em São Gabriel e região

anúncio prefeitura sg dengue

Super Engenho São Gabriel - Mais qualidade para sua família

Foco no Futuro com a Urcamp - inscrições para o vestibular de verão abertas!

São Gabriel Saneamento - o melhor está por vir, acredite

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Urbano Alimentos - colaborando para o crescimento de São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Ajude o Rio Grande do Sul neste momento difícil! O Sicredi está nessa!

Drª Sandra Regina Marçolla Weber - na VidaMed

01 junho 2023

MEMÓRIA | Trinta anos após sua morte, Carlos Alberto Moreira é lembrado como político, músico e defensor dos direitos dos deficientes em São Gabriel

Neste 1º de junho, além do Dia da Imprensa, se completaram 30 anos da morte de Carlos Alberto Moreira, atuante na cultura, política e imprensa local (foto divulgação)

Neste dia 1º de junho, transcorrem trinta anos do falecimento de um relevante personagem da história política e cultural recente de São Gabriel: Carlos Alberto Moreira, que marcou a história local como político, músico e homem de imprensa. Trinta anos se passaram desde o falecimento de Moreira, uma figura influente na política e na cultura de São Gabriel. Nascido em 1945, Carlos Alberto, que foi político, músico e defensor dos direitos dos deficientes, deixou um legado marcante na cidade, conforme histórico repassado por um de seus filhos, o jornalista e pastor Cláudio Moreira.

Desde a infância, Carlos Alberto mostrou talento musical e habilidades de comunicação. No entanto, sua vida tomou um rumo inesperado quando, durante a adolescência, desenvolveu uma deficiência visual que o levou à completa cegueira aos 24 anos. Mesmo enfrentando essa adversidade, ele perseverou e se tornou um músico profissional registrado na Ordem dos Músicos do Brasil.

Carlos Alberto foi um pioneiro na defesa dos direitos das pessoas com deficiência, décadas antes da inclusão social se tornar uma bandeira da sociedade moderna. Na juventude, ele fez parte da Ala Moça do antigo PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), demonstrando seu engajamento político desde cedo.

Sua carreira política começou como suplente na vereança, durante os mandatos de Erasmo Chiapetta. Mais tarde, em 1974, ele foi eleito vereador com mais de 900 votos pelo MDB (Movimento Democrático Brasileiro), sigla que abrigava diversas correntes políticas de oposição ao regime militar.

Em 1983, Carlos Alberto assumiu a presidência da Câmara de Vereadores, tornando-se o primeiro deficiente visual da América Latina a liderar um parlamento. Esse feito projetou seu nome em todo o Brasil, destacando-o como uma das jovens e promissoras lideranças do PDT nacional. Durante sua gestão, ele se dedicou à criação de leis em benefício dos portadores de deficiência e das gestantes, além de lutar contra a corrupção na administração pública.

Uma das batalhas políticas que Carlos Alberto travou, ao lado do vereador Luzardo Mello (PDS), foi garantir a instalação do Corpo de Bombeiros em São Gabriel. Além disso, em 1984, ele organizou o I Seminário de Estudos dos Problemas de São Gabriel, promovido pela Câmara de Vereadores, onde foram identificadas várias deficiências estruturais para o desenvolvimento municipal, como a escassez de água e energia. Nos anos seguintes, o governo estadual iniciou as construções das barragens VAC-1 e VAC-4, durante os mandatos dos governadores Simon e Collares.

No campo da música, Carlos Alberto participou do movimento cultural que popularizou os festivais de nativismo pelo interior do estado. Sua obra mais conhecida, "Benzedura", foi uma das canções mais aclamadas na II Ronda da Canção Nativa do Alegrete, em 1982. Essa música já foi regravada e reinterpretada por renomados artistas, como Wilson Paim e Janaína Maia.

Após se desligar do PDT em 1992, Carlos Alberto filiou-se ao PTB, a convite de Arlindo Vargas. Além de sua atuação política, ele também deixou sua marca no campo da comunicação, trabalhando na Rádio São Gabriel com o programa "Brasil de Todos os Sons" e na Rádio Batovi, onde coapresentava o programa "Batovi Notícias" ao lado do jornalista Miguel Monte dos Santos. Além disso, ele contribuiu para o jornalismo impresso, sendo sócio-proprietário dos jornais "O Imparcial", "Eco do Pampa" e "Tribuna do Povo".

Infelizmente, a trajetória de Carlos Alberto foi interrompida por uma fatalidade. Ele faleceu vítima de um acidente de trânsito na rua Mascarenhas de Moraes, ao sair da Rádio Batovi, na época na avenida. Hoje, a data de sua morte é relembrada por seus filhos, que prestam homenagens nas redes sociais, destacando o legado deixado por seu pai.

Carlos Alberto Moreira será sempre lembrado como um indivíduo que superou obstáculos, sendo um exemplo de coragem e determinação para os moradores de São Gabriel. Sua contribuição para a política, a cultura e os direitos dos deficientes é um capítulo importante na história da cidade. Trinta anos após sua partida, seu legado permanece vivo na memória dos gabrielenses.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 01/06/2023 17h39 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.