General Valério Stumpf Trindade receberá Medalha Plácido de Castro nesta quinta em São Gabriel, em solenidade no 9º RCB, que barrou a presença da imprensa (foto Ederson Nunes/CMPA/divulgação)

Imprensa não poderá acompanhar homenagem a gabrielense

Após dois anos devido às contingências geradas pela pandemia de covid-19, a Prefeitura de São Gabriel voltará a conceder a Medalha Plácido de Castro nesta quinta-feira, 24 de março, ao general Valério Stumpf Trindade, atual Comandante Militar do Sul, e que se prepara para assumir a chefia do Estado-Maior do Exército por designação do presidente da República, Jair Bolsonaro. 

A solenidade geralmente é realizada na Semana do Município, mas por questões de agenda do general, a medalha será entregue numa cerimônia cívico-militar com formatura no 9º Regimento de Cavalaria Blindado, a partir das 8 horas da manhã. 

A solenidade não terá a presença da imprensa, mesmo com solicitações para acompanhamento como sempre foi com as atividades da instituição. Questionado pela editoria, o setor de Relações Públicas não explicou os motivos de não permitir a imprensa local acompanhar a homenagem ao filho ilustre. 

QUEM É O HOMENAGEADO
O General de Exército Valério Stumpf Trindade é natural de São Gabriel, filho do Coronel da reserva Vilfredo de Ivanoé da Silva Trindade, também gabrielense, que foi comandante da 13ª Companhia de Comunicações Mecanizada (13ª Com Mec) de 1963 a 1964, na época como capitão. No Comando Militar do Sul desde 2020, chefia o Exército nos três Estados do Sul.

Em 1975, ingressou na Escola Preparatória de Cadetes do Exército. Virou oficial da Cavalaria em 1981. Além dos cursos regulares de Formação, Aperfeiçoamento e Comando e Estado-Maior, realizou curso de Gerenciamento de Recursos de Defesa, na Escola Naval de Pós-Graduação dos EUA.

No Exterior, foi Observador Militar da ONU em Angola (missão UNAVEM II) e na Iugoslávia (missão UNPROFOR). Nos dois locais teve oportunidade de estar em combates reais. Foi também adido militar junto à Embaixada do Brasil no Reino Unido (de 2008 a 2010).

No RS, comandou o 3º Regimento de Cavalaria de Guardas (Regimento Osorio), em Porto Alegre, a 1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (Santiago) e a 3ª Região Militar (Porto Alegre), além de ter sido comandante-adjunto no Comando Militar do Sul.

Em outras funções, foi instrutor em três das principais escolas das Forças Armadas: a Academia Militar das Agulhas Negras (RJ), a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército. Foi ainda assessor militar na Presidência da República, subcomandante de Operações Terrestres do Exército e, no governo Bolsonaro, ocupou o cargo de secretário-executivo do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que cuida da segurança presidencial e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Em fevereiro de 2022, foi confirmado como futuro Chefe do Estado Maior do Exército, a ser nomeado a partir de abril pelo presidente Jair Bolsonaro.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 22/03/2022 14h43
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Post a Comment

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.