Lançamento de movimento capitaneado por Luiza Helena Trajano para os municípios gaúchos aconteceu nesta quarta-feira, de forma on-line, pela Famurs (foto reprodução)

A Famurs realizou na tarde desta quarta-feira (10) o lançamento do movimento Unidos pela Vacina para os municípios gaúchos. A iniciativa do Grupo Mulheres do Brasil, presido pela empresária Luiza Helena Trajano, tem o propósito de acelerar o processo de vacinação de todos os brasileiros contra a covid-19. Em sua manifestação, o presidente da Famurs, Maneco Hassen, declarou que “não temos outro caminho senão a vacinação. A vacinação é a nossa prioridade absoluta”.

Maneco também destacou a importância do movimento para ampliar a conscientização da população, de colaborar na logística e de ampliar o diagnóstico das condições que cada município tem para aplicar a campanha de vacinação com agilidade e eficiência. “Nós temos plena convicção de que o único caminho existente para que a gente saia desta pandemia o mais rápido possível é viabilizando a vacinação da maioria da população brasileira e gaúcha”, afirmou. “Sempre há dificuldades, e se a gente pode trabalhar para antecipar essas dificuldades, para nos prepararmos e fazer isso da melhor forma possível, melhor ainda. E isso é possível porque temos o apoio de vocês: a sociedade civil organizada”, declarou Maneco agradecendo a oportunidade de agregar ao movimento.

De acordo com a presidente do Grupo Mulheres do Brasil, Luiza Helena Trajano, já são mais de 500 pessoas que aderiram ao movimento. Segundo ela, “pessoas que entenderam que sem a vacina não tem como ir para frente”. Luiza evidenciou que não se cura epidemia sem vacina e que o objetivo da iniciativa é unir todos os seguimentos, empresas e entidades para buscar tudo o que for necessário para vacinar todos os brasileiros até setembro deste ano. “Nosso grupo defende causas boas para o Brasil, é apartidário, não tem interesse comercial.  Nós queremos ajudar e não deixar nenhum brasileiro sem vacinação”, justificou Luiza.

Um dos apoiadores que deu início ao movimento no RS, o empresário e presidente da RBS, Claudio Toigo, declarou que a prioridade no momento é de identificar eventuais gargalos que ainda existam e que possam prejudicar o processo de vacinação da população gaúcha. “Nós temos um problema muito sério de saúde, mortes evitáveis, uma calamidade humana e socioeconômica. A única solução definitiva para sairmos dessa situação, que hoje comemora um ano, é a vacinação”.  Conforme Toigo, a RBS irá promover uma campanha de conscientização, com intuito de combater a desinformação e motivar as pessoas para que se vacinem.

Também esteve presente no lançamento o vice-presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS), Naasom Luciano, que colocou a entidade à disposição para garantir a imunização dos gaúchos. “Somente este ato vai minimizar os efeitos da crise”, afirmou.

Pesquisa
Segundo as organizadoras do movimento, até o momento, 61 municípios do RS responderam ao questionário produzido pelo Unidos Pela Vacina. No entanto, mesmo com baixa adesão, já possível observar a necessidade de geladeira para refrigeração dos imunizantes e insumos para aplicação da vacina.

Conforme Maria Fernanda, membra do Grupo Mulheres do Brasil, é necessário que todos os municípios respondam a pesquisa até o dia 30 de março, para que se inicie o processo de doação de bens e serviços necessários para cada municípios.

O formulário será encaminhado pela Famurs aos e-mails das prefeituras. Dúvidas sobre o movimento poderão ser sanadas através do e-mail prefeitura@grupomulheresdobrasil.org.br.

Reportagem: Marcelo Ribeiro, com informações da Famurs 
Data: 10/03/2021 17h52
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Post a Comment

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.