09 abril 2020

FCDL pede apoio da Assembleia para flexibilizar atividades do comércio

Junta governativa da FCDL, que tem Aljaci Britto entre os membros, teve audiência com o presidente da ALRS, Ernani Polo, para pedir apoio à flexibilização para a abertura do comércio no RS (foto divulgação)
Por Maicon Bock, Assembleia Legislativa

Preocupada com a situação dos estabelecimentos comerciais gaúchos, a junta governativa da FCDL (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul) fez um apelo no fim da manhã de hoje ao presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo (PP). Aljaci Britto, Cladimir Coppini e Márcio Martins pediram apoio para flexibilizar a abertura de lojas com regras pré-estabelecidas e cuidados com a saúde. A maioria das atividades comerciais está fechada até 15 de abril, por determinação de decreto do governador Eduardo Leite (PSDB), devido ao coronavírus.


“A situação é preocupante. Quem está sendo mais atingido é o micro e o pequeno empreendedor. Precisamos flexibilizar as regras com protocolo de cuidados com a saúde, seguindo as recomendações das autoridades sanitárias, para manter o emprego e renda. Já há empresários sendo obrigados a demitir funcionários e sem dinheiro para bancar aluguel, devolvendo prédios e fechando pontos”, relatou Britto.

Polo agradeceu a visita à Assembleia e informou que está empenhado no tema com várias entidades empresariais gaúchas por meio do Fórum de Combate ao Colapso Social e Econômico. Com quatro reuniões desde 26 de março, o grupo tem como objetivo garantir o funcionamento pleno da cadeia da alimentação e setores paralelos que dão suporte a ela e buscar apoio emergencial de bancos e governo a trabalhadores que já estão enfrentando dificuldades, especialmente os autônomos, e empreendedores que foram obrigados a interromper suas atividades.

O parlamentar ainda mencionou que foi entregue a Leite, na terça-feira, um protocolo de procedimentos para o funcionamento dos estabelecimentos comerciais elaborado pelo Sistema Fecomércio/Sesc/Senac. O objetivo é que as diretrizes sejam adotadas nos setores do comércio, serviços e turismo para evitar o contágio do coronavírus dentro dos estabelecimentos – com destaque para a intensificação do uso de máscaras – e servir de base para que Leite reavalie a política de fechamento das atividades comerciais. O governador prometeu analisar o documento com sua equipe técnica.

O presidente da Assembleia reiterou o compromisso e o total apoio às ações de proteção à saúde da população, mas disse acreditar que o comércio pode voltar a funcionar com regras. “Não se trata de um retorno à normalidade, mas de um novo padrão de funcionamento, com ambiente controlado, estabelecido em protocolo a partir de análise técnica da Fecomércio”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.