09 janeiro 2020

Entidades se reúnem para definir coleta de prejuízos causados pela seca

Reunião aconteceu nesta quinta-feira no Parque de Exposições Assis Brasil, onde entidades e empresas se manifestaram e vão disponibilizar dados sobre perdas com a estiagem nos próximos dias em São Gabriel
O Sindicato Rural de São Gabriel se reuniu com entidades do agronegócio, forças políticas e parceiros na tarde desta quinta-feira, 9 de janeiro, para definir ações para coletar dados sobre os prejuízos causados pela estiagem e falta de chuvas em São Gabriel. O encontro, organizado junto com a Emater/ASCAR na Casa do Sindicato no Parque Assis Brasil, ouviu vários representantes para um levantamento inicial dos dados. As perdas podem chegar a até 30% da safra, o que ainda será ratificado.



O encontro foi organizado pelo presidente em exercício do Sindicato, Marco Aurélio Cunha, e o coordenador do escritório local da Emater, Guilherme Coradini Silva, que ouviram os presentes, pedindo que todos colaborem para a concentração de dados para alicerçar a decretação de situação de emergência que foi oficializada nesta quinta pela Prefeita em exercício Karen Lannes.

O coordenador da Defesa Civil Municipal, Ricardo Júnior, salientou que o Governo do Estado reduziu o prazo para homologação da situação, o que dará agilidade para conseguir apoio ao município. Nos próximos dias, mais dados serão coletados pelas entidades para avaliar perdas na agricultura e pecuária de São Gabriel, além de obter orientações e apoiar quem teve prejuízos com a estiagem.


Participaram da reunião representantes da Defesa Civil Estadual, Prefeitura Municipal, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, IRGA e de empresas do agronegócio. Os dados deverão ser apresentados oficialmente nos próximos dias à comunidade. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 09/01/2020 20h29
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.