26 novembro 2019

Tradicionalista gabrielense que andou mais de 13000 km a cavalo entrega livro à Karen Lannes

Tradicionalista gabrielense que percorreu distância de 13000 km em dois anos entregou exemplar de livro que relata aventura para a vice-prefeita Karen Lannes, na última sexta-feira, 22 de novembro
O tradicionalista gabrielense Juno Ubirajara Marsico, que realizou uma epopéia indo do Monte Cabuiraí, em Roraima, até o Chuí, no Rio Grande do Sul, 13 mil km àcavalo, entregou o livro que relata o feito histórico para a Vice-prefeita e Secretária de Assistência Social Karen Lannes, na última sexta-feira, 22 de novembro. Marsico estava junto com sua filha, Rita e o ex-vereador, advogado e amigo Élbio Silva Capiotti.



Karen recebeu comitiva na última sexta-feira, para levar obra e falar sobre expedição e também visitar e conversar

Marsico autografa livro para Karen Lannes
Marsico, que está em São Gabriel para ser homenageado em 6 de dezembro com o título de Mérito Tradicionalista pela Câmara de Vereadores - ele não pode receber a homenagem na época por estar em compromissos fora do município - entregou o livro à Karen, onde na obra relata toda a movimentação realizada para provar que o ponto extremo do país era em Roraima, não no Oiapoque como dizia a cultura popular. O livro sobre a cavalgada foi lançado pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), dada a importância da expedição.

O autor agradeceu a presteza e atenção da Secretária, que os bem recepcionou e conversou sobre a viagem. Juno Ubirajara foi o idealizador da aventura que teve três objetivos: evidenciar o Monte Caburaí, ponto extremo do Brasil - característica erroneamente associada ao Oiapoque - e também a rusticidade e a resistência do Cavalo Crioulo, assim como as tradições gaúchas.

O percurso foi cumprido entre os dias 21 de dezembro de 2003, quando partiu da cidade de Uiramutã, Roraima, na fronteira tríplice com a Guiana e a Venezuela, e encerrou mais de sete mil quilômetros além, no dia 20 de agosto de 2005, quando chegou ao Chuí na fronteira do país com o Uruguai. Em um ano e sete meses de estrada, os cavaleiros avançaram uma média de dez a 15 quilômetros por dia. O grupo Andejo, como foi nomeada a comitiva, foi constituído por Marsico e mais três irmãos índios de Roraima, Giliard, João Neto e Celso Souza Silva. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 26/11/2019 15h36 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário: