Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: CPERS se prepara para mobilização em Porto Alegre no dia 13 de agosto

Ofertaço Grazziotin - de 16 a 20 de outubro

O Poder da Clareza - 17 de outubro em São Gabriel

Inauguração da filial Porto Lanches na quinta, 10 de outubro

12 de outubro - Dia de Nossa Senhora Aparecida - lembrança do Colégio Perpétuo Socorro

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça inglês e espanhol no Fisk - matrículas abertas

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Renegocie suas dívidas judiciais com a Prefeitura com o REFIS Judicial

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Máquina de cartões Sicredi - a máquina que vem com um parceiro de negócios

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Curso para o Concurso de Vila Nova do Sul é no Aurora Concursos

CPERS se prepara para mobilização em Porto Alegre no dia 13 de agosto

41º Núcleo do CPERS/Sindicato de São Gabriel se prepara para mais uma manifestação pela manutenção dos direitos e da educação pública (foto arquivo C7)
Com o objetivo de pressionar o Governo Eduardo Leite a não retirar direitos e garantias da educação pública, o CPERS Sindicato mais uma vez estará realizando uma grande mobilização em Porto Alegre, marcada para 13 de agosto, terça-feira, a partir das 14 horas. Com o nome de "#OcupaMatriz", um protesto está marcado para acontecer na Praça da Matriz, em frente ao Palácio Piratini. E os educadores de São Gabriel já se mobilizam para estarem presentes.



O 41º Núcleo, presidido pelo professor Pedro Moacir Moreira, já está se preparando e tem lista à disposição nas escolas estaduais e na sede do Núcleo, na Galeria Wallauer. "Mais uma vez, o Governo Estadual quer atacar a educação pública e temos que nos preparar para a luta, para manter estes direitos e impedir as ameaças contra o ensino público", destacou.


O CPERS salienta que o Governo Estadual quer implantar as seguintes medidas: extinção do adicional por tempo de serviço; fim dos triênios e quinquênios; reforma da previdência estadual; aumento da alíquota previdenciária de 14% para 22%; contribuição de aposentados que ganham abaixo do teto do INSS, que é de R$ 5,8 mil; proposta orçamentária prevendo seis anos de salários congelados; fechamento de até 2 mil turmas nas escolas estaduais; e privatização da gestão das escolas e terceirização, o que segundo o Sindicato, é altamente danosa. Mais informações para excursão ao ato, pelo fone (55) 3232-5860. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 07/08/2019 20h42 
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: