02 junho 2019

Em busca do ENART, Invernada "Os Carreteiros" apresenta seu tema anual

Estreia do tema anual aconteceu neste sábado, no CTG Caiboaté, onde Os Carreteiros homenageiam Talco Cardoso
O CTG Caiboaté ficou lotado na noite deste sábado (1º) para a estreia da Invernada Adulta "Os Carreteiros", que busca a classificação para o ENART 2019, a ser realizado em novembro na cidade de Santa Cruz do Sul. O grupo apresentou o tema deste ano, que homenageia e conta a história de um dos bandoleiros mais temidos durante a primeira metade do Século XX na região, Tarquino Cardoso, conhecido como Talco Cardoso.




Sede social da entidade ficou lotada para conferir a estreia do tema do grupo, que busca o ENART neste ano
A coreografia mostra o que foi Talco Cardoso, retratado como bandido e que na pesquisa realizada pelo grupo, mostrou que ele foi na realidade também um "Robin Hood dos Pampas", ajudando os mais pobres em uma época que a desigualdade social reinava na Campanha e poucos tinham acesso à qualidade de vida e dignidade.

Os integrantes encarnaram a vida de Talco, incorporando o papel dos "Matreiros", como eram os homens campeiros que agiam independentemente da justiça e lei. A noite ainda teve antes, um jantar campeiro e logo após a apresentação, baile com o grupo MasQueTal. A meta é passar na Regional e depois na Interregional do ENART, que ocorrerá em setembro em Santo Ângelo.

O grupo tem como instrutores Rafael Machado e Tayara Carús, coreografia de Gilmar Caetano Rocha e Gabriel Paez e a música a cargo de Jadson Aquino e Edu Nogueira. O jantar-baile levou um grande público ao Caiboaté, que prestigiou a Invernada que mais uma vez, tentará classificação ao maior evento das artes gaúchas no final do ano.

Os Carreteiros defenderão o Caiboaté na busca para a classificação do maio encontro de artes gaúchas do Estado, que ocorre em novembro em Santa Cruz do Sul
Quem foi?
Nascido em 1916, Tarquino Cardoso ou "Talco", é considerado o maior bandoleiro que São Gabriel já teve. Foi considerado um dos mais temidos que andava entre Rosário do Sul e Uruguaiana, com roubos de gado junto de seu bando, chamado de "Matreiros" e ajudava os mais necessitados.

Era odiado pelos estancieiros da época, temido por policiais e adorado pelas populações mais pobres, especialmente as ribeirinhas. Na sua vestimenta, usava sempre um lenço de pescoço, parecia de seda em xadrez azul e branco.

Liderava os "matreiros", que eram os homens campeiros mais valentes, rebelados contra a justiça e a lei. "Talco" e os "matreiros" não eram criminosos comuns, não aceitavam as regras impostas pela sociedade da época nem a imposição do modernismo e da evolução.


O grupo de Talco também era contratado por estancieiros em troca de serviços. Acabou morto por traição - ferido mortalmente pelas costas por Jorge Locatelli, companheiro nas ações de roubo de gado, em 1955 e virou lenda.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 02/06/2019 12h08
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui, mas deixamos claro uma coisa. Não vamos tolerar bandalheiras e bagunça no blog, por que somos favoráveis ao debate, mas com respeito e educação:
- Identifique-se na hora de postar o comentário;
- Ofensas e xingamentos contra outras pessoas ou à direção do blog, não serão tolerados, além de ser passíveis de ações judiciais, com identificação dos responsáveis;
- Ao escrever, pense que o blog é seu. E que você pode ser acionado judicialmente pelos comentários;
- Não "ponha palavras" na boca dos outros, por que não vai passar;
- Quer deixar endereços web, use o cadastro na hora de comentar;
- CAIXA ALTA, erros de português ou outros semelhantes, nem pensar! Aqui não é local de gente que não está preparada para dar opinião, muito menos bagunceiros ou arruaceiros.
- O comentário tem que ser relacionado a postagem, do contrário, não será considerado.
- Denúncias de qualquer natureza, tem que ser feitas diretamente às autoridades, com a Brigada Militar pelo 190 e a Polícia Civil pelo 3232-6166.