Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: STF decide que não se pode impedir trabalho de motoristas de aplicativos

Aproveite o Panelaço Farroupilha da Tottal Casa & Conforto, de 16 a 22 de setembro

Prestigie o 45º Remate da Cabanha Santa Maria, em 7 de outubro, durante a 85ª Expofeira de São Gabriel

Dia 6 de outubro - a festa mais colorida do ano em rosário do Sul - Glow in the Dark 2

Faça o seu UnimedCARD, menos de 30 centavos por dia!

Setembro, mês da bíblia - Colégio Perpétuo Socorro

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça inglês e espanhol no Fisk - matrículas abertas

Tchê Burger - Vai um tchê aí? Seu novo delivery de lanches em São Gabriel

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

More com conforto no Hotel Obino de São Gabriel. Saiba mais!

Renegocie suas dívidas judiciais com a Prefeitura com o REFIS Judicial

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Máquina de cartões Sicredi - a máquina que vem com um parceiro de negócios

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Gás Querência - promoção apenas 75 reais o botijão, no dinheiro

STF decide que não se pode impedir trabalho de motoristas de aplicativos

Aplicativos de transporte estão liberados para atuar nos municípios. Proibição é inconstitucional, decidiu STF (foto Leon Neal/Getty Images)
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na quarta-feira (8) que é inconstitucional proibir a atuação dos motoristas particulares dos aplicativos Uber, Cabify e 99. Por unanimidade, com base no princípio constitucional da livre concorrência, a Corte decidiu que os municípios podem fiscalizar o serviço, mas não podem proibir a circulação ou estabelecer medidas para restringir a atuação.



A decisão da Corte também poderá acabar com a guerra jurídica de liminares que autorizaram e proibiram a circulação dos motoristas em várias cidades do país. O STF julgou ações contra leis de Fortaleza e de São Paulo proibindo a atuação dos motoristas. O caso foi julgado a partir de ações protocoladas pelo PSL e pela Confederação Nacional de Serviços (CNS).

O caso começou a ser julgado em dezembro do ano passado, quando o julgamento foi interrompido por um pedido de vista do ministro Ricardo Lewandowski. Nesta tarde, ao votar sobre a questão, Lewandowski acompanhou os votos dos ministros Luiz Fux e Luís Roberto Barroso, relatores das duas ações, que liberaram o serviço dos aplicativos.


Também votaram a favor dos aplicativos os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Rosa Weber, Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Dias Toffoli.

Reportagem: Agência Brasil/EBC
Data: 09/05/2019 20h12
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: