Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Assassinos de ex-coordenador regional tradicionalista são condenados pela Justiça

Casa do Sofá, agora em novo endereço! Confira!

Dia 05-12 - Grande Festa Final de Ano com Sandro e Cícero, na Seven - Realização RW Saúde dos Cabelos e Lú Couros

Inauguração da filial Porto Lanches na quinta, 10 de outubro

Hospede-se na Rede de Hotéis Suárez, um hotel sempre perto de você! CLIQUE AQUI PRA FAZER SUA RESERVA

Matrículas abertas no Colégio Perpétuo Socorro para 2020!

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça inglês e espanhol no Fisk - matrículas abertas

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Renegocie suas dívidas judiciais com a Prefeitura com o REFIS Judicial

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Poupança? É Sim, Sicredi - Aproveite para fazer a diferença em sua vida financeira

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Studio H de Mana, venha conhecer

Assassinos de ex-coordenador regional tradicionalista são condenados pela Justiça

Assassinos de Gilberto Bittencourt Silveira foram condenados a mais de 20 anos de prisão por sua morte (foto arquivo C7)
Os assassinos do ex-coordenador da 18ª Região Tradicionalista, Gilberto Bittencourt Silveira, morto em 31 de janeiro deste ano por latrocínio, foram condenados pela Justiça nesta terça-feira (16) em Bagé. Gilberto acabou morto após ser atraído por uma garota de programa a um local onde ele foi surpreendido e amordaçado, no kartódromo da cidade.



Tiago Rafael Leges Ferreira, conhecido como "Mochilão", acusado de ser o mandante da operação, foi condenado a 25 anos por latrocínio e receptação do carro usado no crime. Rafael da Costa Pinheiro, 25 anos, um dos executores do crime, foi condenado a 21 anos pelo mesmo motivo, latrocínio e receptação do veículo usado na ação.

A mulher que atraiu Gilberto para o local da abordagem, Júlia Dilia Castro, foi condenada por latrocínio e pegou 20 anos de prisão. Na sentença, Mochilão e Pinheiro foram absolvidos da acusação de clonagem da placa do veículo utilizado no crime. Os três já estão presos. Da decisão cabe recurso, tanto do Ministério Público quanto das defesas dos acusados.

Relembre o caso
Na noite de 31 de janeiro, Gilberto Bittencourt Silveira foi morto após abordagem e um sequestro-relâmpago, no kartódromo de Bagé, com um tiro na cabeça. Após desconfiar da versão de Rafael Pinheiro, que disse "tentar a sorte" na Rainha da Fronteira, a Polícia Civil investigou o caso mais a fundo e descobriu que o crime foi encomendado por Mochilão.

Júlia Castro, que era garota de programa, se comprometeu a "entregar" Gilberto para ser assaltado em troca de pagamento de uma dívida de drogas com Mochilão, preso em Pelotas por tráfico, roubo e homicídio. No sequestro, o bandido acabou atirando em Gilberto sob a alegação de que ele teria tentado reagir, matando-o na hora. O caso foi solucionado dias depois, com a revelação de um esquema criminoso que previa o roubo a Gilberto, mas que acabou com sua morte.

A morte de Silveira chocou o tradicionalismo, ainda mais que dias depois, seria feita a posse de sua sucessora, Paula Oliva Bundt, que acabou adiada para março.

Reportagem: Marcelo Ribeiro, com informações do portal Bagé 24h 
Data: 16/10/2018 18h02
Contato da Redação: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: