Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: França vence Croácia por 4 a 2 e conquista o bicampeonato mundial

12-05 Domingueira das Mães - CTG Querência Xucra

Penha de Troca da Patronagem - CTG Plácido de Castro - 25 de maio

Prestigie a reinauguração da Cremolatto em novo endereço no Calçadão de São Gabriel

More com conforto no Hotel Obino de São Gabriel. Saiba mais!

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

Faça sua Pós-Graduação na Unopar

Jogue Limpo com a sua Cidade - Prefeitura de São Gabriel

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Sicredi Pampa Gaúcho - Juntos geramos desenvolvimento para todos

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

França vence Croácia por 4 a 2 e conquista o bicampeonato mundial

Em grande partida, França venceu a Croácia por 4 a 2 e conquistou o bicampeonato mundial em Moscou (foto FIFA)
Em uma grande partida, considerada a melhor das últimas Copas, a França venceu a Croácia por 4 a 2 e conquistou o bicampeonato mundial de futebol no começo da tarde deste domingo (15), no Estádio Luzhniki, em Moscou, finalizando assim a Copa do Mundo sediada na Rússia. A partida teve todos os ingredientes de uma decisão. A Croácia veio disposta a surpreender os franceses, treinados por Didier Deschamps, que entrou para a história junto de Franz Beckenbauer (Alemanha) e Zagallo (Brasil), que foram campeões mundiais como jogador e técnico.



Mas quem abriu foi a França, quando em cobrança de falta de Griezmann, Mandzukic acabou aparando a bola e marcando contra aos 17 minutos do 1º tempo. A Croácia não se intimidou e buscou o empate, aos 27 minutos, com sobra de bola na área e Perisic não perdeu a chance e mandou para dentro do gol de Lloris. Mas aos 33 minutos, um lance decidido pelo árbitro de vídeo, onde influiu também no resultado, dividindo opiniões. Perisic cortou escanteio de Griezmann, mas este teria sido aparado pela mão. O árbitro Nestor Pitana pediu revisão diante das reclamações dos franceses e marcou o pênalti, cobrado por Griezmann: 2 a 1.

No segundo tempo, a Croácia pressionava, mas no entanto, a França administrava o jogo. Aos 7 minutos, três pessoas invadem o gramado e são retiradas, quando os croatas atacavam a França. Eram militantes do grupo feminista Pussy Riot, que queria protestar contra o presidente russo Vladimir Putin. E aos 13 minutos, quando a Croácia tentava a reação, a França marca o terceiro com Pogba, em um trabalho conjunto com Griezmann e Mbappé. O cansaço da Croácia ter passado por três decisões com tempo extenso, sendo praticamente uma partida a mais, se refletiu na seleção vice-campeã mundial.

Seis minutos depois, o quarto gol da França, com o craque Mbappé, que fez um belo gol e se tornou o segundo jogador mais jovem a marcar em uma final de Copa - o primeiro foi Pelé, com 17 anos, em 1958 na Suécia. A Croácia tentou não se entregar e em uma falha de Lloris, que tentou driblar Mandzukic, perdeu a bola e tomou o gol. Mas a França segurou o resultado e as investidas da Croácia para conquistar o bicampeonato, vinte anos depois de ter sido campeã em casa perante o Brasil.

Nos melhores, o Craque da Copa foi Luka Modric, da Croácia e a revelação foi Mbappé, da França. Courtois, da Bélgica, foi o melhor goleiro e Harry Kane, da Inglaterra, o artilheiro da Copa com seis gols. À Croácia, resta o vice-campeonato e o parabéns pela bravura e determinação em ter buscado reverter o placar até o fim. Assim, encerra uma das melhores Copas já vistas, apesar da eliminação do Brasil - e que mostra que poderia ter chegado à decisão. Agora, até o Catar em 2022. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 15/07/2018 14h24 
Contato: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: