Invista no primeiro shopping center de São Gabriel

Vem aí novo processo seletivo da Unopar, inscreva-se já

Vem aí mais um Ofertaço Grazziotin

09-11 Penha de Aniversário CTG Caiboaté - Chiquito e Bordoneio

Colabore para uma cidade limpa - Jogue Limpo com a sua Cidade

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Anúncio Sicredi novo

Oficina de Costura

Rádio RBC FM - A emissora da comunidade

Chega de pagar caro na sua conta de luz. Ecotec Energy

Caminhoneiros seguem protesto pelo segundo dia consecutivo em São Gabriel

Caminhoneiros seguiram protesto pelo 2º dia consecutivo no trevo da Urcamp e Gauchão, em número maior de participantes em relação ao dia anterior
Caminhoneiros de São Gabriel e região seguiram nesta terça-feira (22) o protesto contra o preço alto dos combustíveis e dos impostos, agora com maior adesão em relação à ontem. Estima-se que mais de 400 pessoas estejam no trevo da Urcamp, onde está concentrada a manifestação que vem recebendo mais apoios de profissionais do volante.



Movimento tem apoio do agronegócio local

Protesto é pacífico, com bloqueios de estrada a cada hora no local
Há bloqueios a cada hora de outros caminhões e carros. Estão liberados somente os veículos de saúde e emergência, como ambulâncias, SAMU e Bombeiros. Os caminhoneiros estão tendo o apoio reforçado de produtores rurais e empresas do agronegócio, e só vão deixar de protestar quando o Governo Federal reduzir o preço dos combustíveis, turbinado pelos impostos altos.

Durante a manhã, a Petrobrás anunciou que reduzirá os preços da gasolina em 2,08% e o diesel em 1,54%, após uma sequência de reajustes. A redução será aplicada a partir de amanhã (23). A empresa informou em seu site que o preço da gasolina nas refinarias cairá de R$ 2,0867 o litro para R$ 2,0433 a partir desta quarta. Já o preço do diesel será reduzido de R$ 2,3716 para R$ 2,3351. Os caminhoneiros conclamam a comunidade a aderir o movimento - a ideia é fazer tudo parar para que a população tome ciência de seus direitos.

Sebastião, que participa do movimento, externa dificuldades para trabalhar geradas pelo alto custo do combustível e impostos
Os caminhoneiros salientam que devido à alta dos combustíveis, estão vendo os custos subirem e os ganhos diminuírem drasticamente. O motorista catarinense Sebastião dos Anjos disse à reportagem que tem gasto mais de mil reais de combustível e que praticamente não paga os custos do transporte. "Assim fica difícil viver, porque todo nosso lucro que ganhamos para ajudar a família praticamente é inexistente. Estamos pagando para trabalhar, além do quê, não há retorno desses impostos, com estradas em más condições, esburacadas e a falta de segurança", finaliza.

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 22/05/2018 20h24
Contato: (55) 996045197 / 991914564 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: