Caderno7 - O site de notícias da Metade Sul: Prefeitura anula processo licitatório e decreta situação de emergência no transporte coletivo local

Colégio Perpétuo Socorro, 110 anos de história a serviço da educação

Garupa São Gabriel - Tá aqui do lado

Papelaria Saldanha agora em novo endereço

Vem aí a CVC em São Gabriel, a partir de 3 de junho

Inaugura nesta quinta em São Gabriel Lojão dos 10 Reais

Inscreva-se para o Vestibular de Inverno da Urcamp - aproveite as oportunidades

More com conforto no Hotel Obino de São Gabriel. Saiba mais!

Conheça a Use Odontologia, agora em São Gabriel

UNOPAR é a sua escolha para o futuro

Jogue Limpo com a sua Cidade - Prefeitura de São Gabriel

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Sicredi Pampa Gaúcho - Juntos geramos desenvolvimento para todos

Dra. Namiriane Müller Leal - Cirurgiã-dentista

Dra. Marcele Camponogara - Odontologia e Estética

Participe das aulas de musicalização com as Tolerantes

Prefeitura anula processo licitatório e decreta situação de emergência no transporte coletivo local

Após perder na Justiça, Prefeitura anulou chamamento público e emitiu novo decreto de emergência no transporte coletivo público urbano e rural de São Gabriel (foto arquivo C7)
Após a manutenção da liminar judicial impetrada pelas empresas Coleurbanus e Expresso Batovi, a Prefeitura de São Gabriel emitiu decreto na tarde de quarta-feira (23), declarando situação de emergência no transporte coletivo urbano e rural. O Prefeito Rossano Gonçalves argumenta, entre outras justificativas, que os contratos com as empresas que atualmente prestam o serviço estão vencidas desde 2012 e que a Prefeitura apontou um estudo técnico apontando irregularidades no transporte de passageiros.


Com isso, a Prefeitura ficará autorizada pelo prazo de 180 dias a proceder a imediata prestação do serviço de forma indireta. Além disso, o decreto autoriza a Prefeitura de forma urgente a firmar contrato com empresa para atuar na prestação do serviço. Até o final do prazo, a Secretaria de Administração ficará responsável pela gestão do transporte público.

Segundo o Jornal da Cidade desta quinta-feira, a Prefeitura enviará cartas-convites para empresas. A iniciativa teria sido do próprio Prefeito de anular o processo e que agora as exigências estariam mais flexíveis. A ideia é evitar a descontinuidade do serviço público e agora o tempo de vida útil exigido dos ônibus de 1 para 5 anos (transporte urbano) e 10 anos (transporte rural).

Na última semana, a Justiça manteve a liminar impetrada pelas empresas Coleurbanus e Expresso Batovi, o que pode também ter influenciado na decisão do Executivo Municipal. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 24/08/2017 08h21
Contato: (55) 3232-3766 / 996045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: