Vem para o Natal da Tottal Casa & Conforto

Vem aí o Reveillon Gaudério no CTG Querência Xucra, com animação de Os Serranos, 29 de dezembro

Invista no primeiro shopping center de São Gabriel

Confira os novos cursos na Unopar São Gabriel

Colabore para uma cidade limpa - Jogue Limpo com a sua Cidade

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Anúncio Sicredi novo

Rádio RBC FM - A emissora da comunidade

Chega de pagar caro na sua conta de luz. Ecotec Energy

Vem aí a Festa de Natal do EC Real, em 19 de dezembro

Expectativa de safra positiva e anúncio de recursos marcam Abertura da Colheita do Arroz

Abertura da Colheita aconteceu na manhã de sábado, na Estação Experimental do IRGA, em Cachoeirinha (Fagner Almeida/Federarroz/Divulgação)
Presidente da Federarroz destacou que o arroz está recuperando nesta safra as perdas do ano passado

Com a expectativa de uma safra satisfatória e de anúncios importantes para o setor orizícola foi aberta oficialmente neste sábado, dia 18 de fevereiro, na Estação Experimental do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), em Cachoeirinha (RS), a colheita do arroz. Autoridades e produtores rurais acompanharam o trabalho de quatro colheitadeiras na lavoura preparada especialmente para o evento, que também contou com a presença de um grande público. A área plantada possui um hectare e foi semeada com a cultivar do Irga 424 RI/CL com genética resistente ao arroz vermelho, que está em 60% da lavoura de arroz do Estado.



O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Henrique Dornelles, defendeu a valorização do Irga por parte do governo do Estado. De acordo com Dornelles, a entidade é uma autarquia diferente, uma vez que sua manutenção é paga pela cadeia produtiva. “Precisamos fortalecer a pesquisa, foi da Estação Experimental do Irga que veio um dos maiores cases do arroz, a 424. Este produto, lançado com inteligência brasileira, dá segurança alimentar para o consumidor”, afirmou.

Dornelles ainda destacou que o Brasil se encaminha para a maior safra da história mas que, no arroz, estão sendo recuperadas as perdas do ano passado, quando houve a redução de um milhão de toneladas. O presidente lembrou que o Rio Grande do Sul é responsável por 72% da produção do arroz brasileiro e, além disso, o produto é isento de resíduos de agroquímicos. Nesse contexto, Dornelles salientou que não é possível que empresas embalem o produto importado e disponibilizem para o mercado como se fosse do selo gaúcho. O presidente também afirmou que em um momento de ajuste de estoques, as cotações dependem da postura do produtor. “O que está sendo ofertado ao mercado é o mesmo volume do ano passado”, disse.

Dornelles finalizou ressaltando que o modelo da cadeia de arroz está desgastado e precisa ser repensado. Segundo o presidente, se a alteração não for realizada, no futuro poderá haver uma crise alimentar devido a descapitalização dos produtores.

O secretário estadual da Agricultura, Ernani Polo, representando o governador José Ivo Sartori, destacou o trabalho realizado pelos produtores rurais e disse que a colheita é um momento de celebração. Nesse contexto, o secretário lembrou que o governo enfrenta um grande desafio em buscar o equilíbrio das finanças. Polo reconheceu a excelência do trabalho do Irga. “No início do governo, nós deixamos as entidades indicarem os diretores do instituto”, ressaltou.

O secretário também lembrou que, nessa semana, foram chamados 46 técnicos e pesquisadores para atuarem na entidade. Polo afirmou que, para se ter uma qualidade na produção, é cada vez mais necessário um correto processo de gestão na propriedade. O secretário concluiu dizendo que é preciso equacionar o equilíbrio entre o setor e o meio ambiente. Para ele, nem todos sabem o quanto é difícil estar produzindo a céu aberto.  

Durante a cerimônia, o superintendente estadual do Banco do Brasil, Edson Bündchen, anunciou recursos para a comercialização e compra antecipada de insumos aos arrozeiros gaúchos. Na linha de Financiamento para Estocagem de Produtos Agropecuários Integrantes do Programa de Garantia de Preços Mínimos (FEPM), que substituiu o EGF, foram disponibilizados R$ 700 milhões, com juros de 9,5% ao ano. Para aquisição antecipada de insumos, a instituição disponibilizou R$ 12 bilhões em recursos controlados para o Custeio Antecipado da safra 2017/2018. As agências da região produtora de arroz já estão realizando as liberações desde janeiro de 2017.

Durante a Abertura da Colheita do Arroz, foi anunciada que a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) autorizou a retirada da grua que impedia a utilização do terminal que recebeu obras da Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa), em Rio Grande (RS), e que servirá para exportações de arroz. A informação foi passada pela Secretaria Nacional dos Portos e o terminal deve estar liberado nos próximos dias. Segundo Coutinho, a notícia vem em boa hora, num momento de entrada de safra.

A vigésima sétima edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz foi organizada pela Federarroz, com o apoio do Irga. Esta é a terceira vez que o evento acontece na Estação Experimental do Arroz. O local foi sede também em 2008 e 2009 e será novamente em 2018. 

Reportagem: Rejane Costa e Marcelo Machado/AgroEffective/Especial C7 
Data: 19/02/2017 XXhXX 
Contato: (55) 3232-3766 / 996045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: