Desfrute de um espetinho gostoso na Mas Bah Tchê Churrasquinho Gourmet em São Gabriel!

Táxi Cristiano 24h - Sua opção de transporte pessoal em São Gabriel

Conforto que cabe no bolso - Íbis Budget Porto Alegre

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Sua formação não pode esperar - Ingresse na Urcamp!

Cotribá - Cooperativismo para a produtividade em São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Vem para a Unopar em São Gabriel!

Danilo Pires Assistência Técnica agora é Good Place, com o melhor em Apple

Curso Sargento Anderson - campeão de aprovações em São Gabriel e região

anúncio prefeitura sg dengue

Super Engenho São Gabriel - Mais qualidade para sua família

Foco no Futuro com a Urcamp - inscrições para o vestibular de verão abertas!

São Gabriel Saneamento - o melhor está por vir, acredite

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Urbano Alimentos - colaborando para o crescimento de São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Conheça todos os benefícios do Seguro de Vida Sicredi Essência!

Drª Sandra Regina Marçolla Weber - na VidaMed

Gráfica F1 - Comunicação Visual e Gráfica Offset com qualidade e bom preço!

08 julho 2014

Opinião do leitor: A Copa do Campo

Tarso Francisco Pires Teixeira
Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel
Vice Presidente da Farsul

A poucas semanas do encerramento da Copa do Mundo no Brasil, a sucessão de imagens de estádios lotados, multidões de estrangeiros nas capitais e o entusiasmo patriótico dos cidadãos nas ruas parece ter sepultado de vez as  expectativas mais apocalípticas. Pouco a pouco, a  indignação com a gastança desenfreada foi sendo substituída pela torcida a favor da seleção, e os protestos que prometiam inviabilizar completamente a realização do evento ficaram para trás. Mas a discussão sobre o legado da Copa para o país ainda é válida, e propor uma reflexão fica mais fácil quando se tem os números corretos.


As estimativas mais otimistas, publicadas em estudo do Itaú-Unibanco, indicam que o PIB brasileiro terá um impacto de 1,5 ponto percentual nos próximos  três anos em decorrência da Copa, com criação de 250 mil  empregos em diferentes setores. É um alento para setores que vinham patinando, mas não será permanente. Quem realmente tem promovido o crescimento econômico e impedido a queda do PIB é um setor pelo qual muitos setores da mídia mal conseguem esconder sua antipatia: o agronegócio. No ano passado, o campo produziu uma alta de 3,56% em relação a 2012 – na prática, o equivalente a duas copas e meia na economia nacional.

Em termos de investimento, o campo (das fazendas) também dá de “goleada” no campo (de futebol). O governo federal gastou R$ 28 bilhões em estádios, e a Fifa já fala em um lucro de R$ 8 bilhões – sem dúvida, a copa mais lucrativa para a organização liderada pelo suíço Joseph Blatter. Para o país, o lucro total ainda é bastante incerto. Já no caso do agronegócio, o governo federal anunciou um Plano Agropecuário de R$ 156 bilhões, sendo que a produção rural, em números totais, representa mais de R$ 1 trilhão na economia, 23% de todo o Produto Interno Bruto. Ou seja, para cada real investido pelo governo no campo, retornaram para a economia R$ 6,00, e isso imediatamente. Não há  setor da economia em que o benefício para os brasileiros seja tão rápido e evidente.

Sim, torço para que o Brasil seja campeão na Copa do Mundo FIFA. Mas o que realmente nos alegra é saber que, na Copa do Agronegócio, o Brasil já está sendo campeão, e isso com um retorno bem mais consistente para o povo brasileiro.

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.