Desfrute de um espetinho gostoso na Mas Bah Tchê Churrasquinho Gourmet em São Gabriel!

Táxi Cristiano 24h - Sua opção de transporte pessoal em São Gabriel

Conforto que cabe no bolso - Íbis Budget Porto Alegre

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Sua formação não pode esperar - Ingresse na Urcamp!

Cotribá - Cooperativismo para a produtividade em São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Vem para a Unopar em São Gabriel!

Danilo Pires Assistência Técnica agora é Good Place, com o melhor em Apple

Curso Sargento Anderson - campeão de aprovações em São Gabriel e região

anúncio prefeitura sg dengue

Super Engenho São Gabriel - Mais qualidade para sua família

Foco no Futuro com a Urcamp - inscrições para o vestibular de verão abertas!

São Gabriel Saneamento - o melhor está por vir, acredite

Estarmed Assistencial - Um plano de saúde gabrielense para os gabrielenses

Urbano Alimentos - colaborando para o crescimento de São Gabriel e região

Aproveite a Temporada Verão 2024 Peruzzo!

Conheça todos os benefícios do Seguro de Vida Sicredi Essência!

Drª Sandra Regina Marçolla Weber - na VidaMed

Gráfica F1 - Comunicação Visual e Gráfica Offset com qualidade e bom preço!

08 maio 2013

Leite adulterado: médicos dizem que não há motivo para pânico

O escândalo do leite adulterado - e que resultou em várias prisões na manhã de hoje no Estado, feitas pela Polícia Civil e Ministério Público - motivou preocupação pelo fato do anúncio que as substâncias encontradas poderiam causar câncer. Os médicos anunciam à imprensa que não há motivo para pânico. É o que diz o diretor e pesquisador do Instituto de Câncer Mãe de Deus, Stephen Doral Stefani, em entrevista à ZH na manhã de hoje.


O médico diz que as doenças só ocorreriam se as pessoas tivessem exposição prolongada e em níveis altíssimos, o que não seria o caso do leite adulterado. A recomendação é que as pessoas que tiveram exposição façam revisão e acompanhamento clínico com o médico de confiança, "mas não há motivo para pânico", afirmou.

Na década de 1980, estudos identificaram o aumento do risco de câncer diante de ingestão de formol (formaldeído) no organismo de animais de laboratório. Naquela época, buscou-se identificar a possibilidade de desenvolvimento de mutações e correlações da doença em humanos que trabalhem expostos à substância. O produto foi encontrado após atravessadores adicionarem ureia no alimento, para mascarar a adição de água de poços artesianos, e que não é eliminado na pasteurização. O Sindilat, responsável pelas indústrias, garante que os lotes não estão mais no mercado.

Saiba mais
* Ministério Público denuncia adulteração no leite no RS

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com jeito, tudo pode ser dito das mais variadas formas. Solicitamos: leia a matéria antes de comentar. Colabore conosco para a difusão de ideias e pontos de vista em nível civilizado.