Caderno7 na Expointer - banner redes sociais

03-09 Jantar-baile Os Monarcas - CTG Querência Xucra

Expectativa de safra positiva e anúncio de recursos marcam Abertura da Colheita do Arroz

Abertura da Colheita aconteceu na manhã de sábado, na Estação Experimental do IRGA, em Cachoeirinha (Fagner Almeida/Federarroz/Divulgação)
Presidente da Federarroz destacou que o arroz está recuperando nesta safra as perdas do ano passado

Com a expectativa de uma safra satisfatória e de anúncios importantes para o setor orizícola foi aberta oficialmente neste sábado, dia 18 de fevereiro, na Estação Experimental do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), em Cachoeirinha (RS), a colheita do arroz. Autoridades e produtores rurais acompanharam o trabalho de quatro colheitadeiras na lavoura preparada especialmente para o evento, que também contou com a presença de um grande público. A área plantada possui um hectare e foi semeada com a cultivar do Irga 424 RI/CL com genética resistente ao arroz vermelho, que está em 60% da lavoura de arroz do Estado.



O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Henrique Dornelles, defendeu a valorização do Irga por parte do governo do Estado. De acordo com Dornelles, a entidade é uma autarquia diferente, uma vez que sua manutenção é paga pela cadeia produtiva. “Precisamos fortalecer a pesquisa, foi da Estação Experimental do Irga que veio um dos maiores cases do arroz, a 424. Este produto, lançado com inteligência brasileira, dá segurança alimentar para o consumidor”, afirmou.

Dornelles ainda destacou que o Brasil se encaminha para a maior safra da história mas que, no arroz, estão sendo recuperadas as perdas do ano passado, quando houve a redução de um milhão de toneladas. O presidente lembrou que o Rio Grande do Sul é responsável por 72% da produção do arroz brasileiro e, além disso, o produto é isento de resíduos de agroquímicos. Nesse contexto, Dornelles salientou que não é possível que empresas embalem o produto importado e disponibilizem para o mercado como se fosse do selo gaúcho. O presidente também afirmou que em um momento de ajuste de estoques, as cotações dependem da postura do produtor. “O que está sendo ofertado ao mercado é o mesmo volume do ano passado”, disse.

Dornelles finalizou ressaltando que o modelo da cadeia de arroz está desgastado e precisa ser repensado. Segundo o presidente, se a alteração não for realizada, no futuro poderá haver uma crise alimentar devido a descapitalização dos produtores.

O secretário estadual da Agricultura, Ernani Polo, representando o governador José Ivo Sartori, destacou o trabalho realizado pelos produtores rurais e disse que a colheita é um momento de celebração. Nesse contexto, o secretário lembrou que o governo enfrenta um grande desafio em buscar o equilíbrio das finanças. Polo reconheceu a excelência do trabalho do Irga. “No início do governo, nós deixamos as entidades indicarem os diretores do instituto”, ressaltou.

O secretário também lembrou que, nessa semana, foram chamados 46 técnicos e pesquisadores para atuarem na entidade. Polo afirmou que, para se ter uma qualidade na produção, é cada vez mais necessário um correto processo de gestão na propriedade. O secretário concluiu dizendo que é preciso equacionar o equilíbrio entre o setor e o meio ambiente. Para ele, nem todos sabem o quanto é difícil estar produzindo a céu aberto.  

Durante a cerimônia, o superintendente estadual do Banco do Brasil, Edson Bündchen, anunciou recursos para a comercialização e compra antecipada de insumos aos arrozeiros gaúchos. Na linha de Financiamento para Estocagem de Produtos Agropecuários Integrantes do Programa de Garantia de Preços Mínimos (FEPM), que substituiu o EGF, foram disponibilizados R$ 700 milhões, com juros de 9,5% ao ano. Para aquisição antecipada de insumos, a instituição disponibilizou R$ 12 bilhões em recursos controlados para o Custeio Antecipado da safra 2017/2018. As agências da região produtora de arroz já estão realizando as liberações desde janeiro de 2017.

Durante a Abertura da Colheita do Arroz, foi anunciada que a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) autorizou a retirada da grua que impedia a utilização do terminal que recebeu obras da Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa), em Rio Grande (RS), e que servirá para exportações de arroz. A informação foi passada pela Secretaria Nacional dos Portos e o terminal deve estar liberado nos próximos dias. Segundo Coutinho, a notícia vem em boa hora, num momento de entrada de safra.

A vigésima sétima edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz foi organizada pela Federarroz, com o apoio do Irga. Esta é a terceira vez que o evento acontece na Estação Experimental do Arroz. O local foi sede também em 2008 e 2009 e será novamente em 2018. 

Reportagem: Rejane Costa e Marcelo Machado/AgroEffective/Especial C7 
Data: 19/02/2017 XXhXX 
Contato: (55) 3232-3766 / 996045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: