10-11 Penha de Aniversário CTG Caiboaté - Chiquito e Bordoneio

Festa Night Out - 10 de novembro

Banner Caderno7 - Prêmio Press 2017

Saúde Plena é saúde para todos

Conheça a página da Cauzzo São Gabriel no Facebook

Clique aqui para se inscrever no Vestibular Urcamp 2018

Alta dos combustíveis já afeta o agronegócio, afirma Tarso Teixeira

Tarso Teixeira diz que suba dos combustíveis já causa problemas ao agronegócio (foto arquivo C7)
A recente alta dos combustíveis em 8%, causada pelo aumento das alíquotas do PIS/Cofins para reforçar o caixa do Governo Federal, já causa aumento também dos custos e maiores gastos para vários setores, o que pode também ocasionar reajuste de outros preços. No agronegócio, o aumento já afeta o setor, de acordo com o Presidente do Sindicato Rural e Vice-presidente da FARSUL, Tarso Teixeira, que analisou mais uma dificuldade que é imposta ao setor.



Segundo ele, a suba dos combustíveis já causa outros aumentos como do custo de produção, manutenção das máquinas agrícolas, além de outros insumos. "Os custos de transporte da produção, assim como de insumos como fertilizantes, adubos, óleos e do frete para os centros consumidores e portos todos estão sendo reajustados com mais esta decisão absurda do Governo Federal, quase inviabilizando o agronegócio. O setor vem segurando a economia nos últimos anos, mas até quando?", questiona Tarso.

O dirigente ruralista lamenta que "não há quem nos defenda" perante decisões consideradas equivocadas do Governo de Michel Temer. "Futuramente, isso vai acabar onerando o preço de venda do arroz, milho e soja. Vemos isso com muita preocupação, pois além do produtor ter acesso restrito ao crédito, isso acaba nos criando muitas dificuldades", afirmando que não é uma fase exclusiva ao agronegócio, mas que o comércio e a indústria também estão sofrendo as consequências da crise econômica.

Finalizando, Tarso afirma que outros fatores aumentam as dificuldades impostas aos produtores como a falta de controle da carne que ingressa no Estado, o que dificulta o mercado legalizado. "Além disso, temos o abigeato que causa prejuízos ao produtor e também o abate clandestino, que chamamos de 'consentido', sem controle pelas autoridades. A luz vermelha de alerta está acesa e o risco de extinção do pequeno e médio produtor é grande, porque todas as vantagens estão sendo concentradas só nos grandes, é lamentável", conclui. 

Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 03/08/2017 09h30
Contato: (55) 3232-3766 / 996045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: