03-09 Jantar-baile Os Monarcas - CTG Querência Xucra

Prefeitura de São Gabriel apresenta situação: mais de 84 milhões em dívidas e estrutura sucateada

Prefeito Rossano concedeu primeira coletiva após assumir o Executivo gabrielense e apresentou situação encontrada: mais de 84 milhões em dívidas deixadas e várias medidas para cortar gastos
*Atualizado com o slide da coletiva no final da reportagem

O momento em que a comunidade esperava aconteceu na manhã desta quinta-feira (12), com a primeira coletiva de imprensa da gestão de Rossano Gonçalves (PDT), desde que ele assumiu a Prefeitura em 1º de janeiro. Na coletiva realizada com a presença de toda a imprensa local - pela primeira vez em muito tempo -, secretários municipais e da Vice Karen Lannes (SD) o mandatário apresentou o relatóro da situação financeira, que apontou um total de R$ 86.927.692,64 (oitenta e seis milhões, novecentos e vinte e sete mil, seiscentos e noventa e dois reais, sessenta e quatro centavos), além dos problemas estruturais herdados da gestão anterior e as medidas que já estão sendo tomadas para retomar a sanidade financeira da administração.



Deste total, Rossano informou que o governo anterior deixou de dívidas, R$ 44.112.636,06 (quarenta e quatro milhões, cento e doze reais, seiscentos e trinta e seis reais, seis centavos) e que foram deixados R$ 10.765.809,86 (dez milhões, setecentos e sessenta e cinco mil, oitocentos e nove reais, oitenta e seis centavos), sendo que para livre movimentação, havia disponível R$ 2.253.640,63 e destes, R$ 1,4 milhão para o pagamento da folha.

Situação da frota
A situação da frota do município foi apresentada. A Prefeitura tem 125 veículos, mas 81 deles tem que ser consertados e reformados por falta de condições de trabalho. 33 deles irão à leilão porque não valerá a pena reformar, em virtude de avançada depreciação. Para colocar os 81 em dia, será preciso gastar 627 mil reais. "É uma dificuldade enorme que teremos que enfrentar", afirmou Rossano, que ainda diz que a frota está "desmantelada".

Governo anterior deixou mais de 44 milhões em dívidas

Situação dos bens públicos também foi apresentada na coletiva
Prédios públicos
Rossano ainda mostrou a situação dos prédios públicos, que não teriam tido a manutenção adequada. "Algumas escolas por exemplo, apresentaram uma precariedade impressionante", disse. Para reparar 37 escolas e creches, 9 centros de saúde, o Palácio Plácido de Castro e demais estruturas de serviços, isso consumirá em torno de R$ 2 mihões.

Problemas na gestão pública
O Prefeito afirmou que as situações encontradas farão o município cair no Cadastro de Inadimplentes do Estado (CADIN) e perder o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP) e que medidas legais serão tomadas. Também falou da alocação das Secretarias de Transportes, Serviços Urbanos e Educação terem sido colocadas em locais insalubres, bem como sumiço de documentos, processos, contratos e convênios e a dificuldade de utilização dos recursos do Governo Federal.

Rossano afirmou que o governo não utilizou recursos do Governo Federal "por falta de projetos, licitações e obras foram paralisadas por falhas nos projetos ou mesmo de execução". Diz que por "conflitos de alas", desmotivação de funcionários e a "concentração de poder na mão de poucos", a situação acabou se agravando.

Medidas para conter gastos
O Prefeito anunciou uma série de medidas, onde algumas delas já estão executadas e que deverão garantir uma economia de R$ 3,5 milhões ao ano. Entre elas, a redução de 4 secretarias, o corte de 50% em horas extras, custos com estágios, diárias do Prefeito, Vice, Secretários e diárias em geral, 50% dos cargos em comissão, racionalização da utilização de veículos das secretarias, revisão de contratos e rigoroso critério para nomeaçoes em concursos. Sobre os aprovados dos concursos, ele informa que em até 20 dias, fará novas nomeações, mas somente para os cargos necessários e que suspenderá as convocações por um ano.

Ações para recuperar as finanças
Ele ainda apresentou as medidas de recuperação financeira. Rossano informa que o Estado deve mais de 10 milhões de reais em medicamentos e transporte escolar. "O governo anterior não cobrou o Governo Estadual (Governo Tarso Genro) por 'proteger companheiros' e que se tiver que 'quebrar o pau' com o Governo de José Ivo Sartori para cobrar o que nos é devido, vou fazer isso por minha comunidade", afirmou. Entre as medidas, reorganização do cadastro de imóveis, parcerias público-privadas, negociação junto aos credores, busca de recursos e financiamentos, leilão de inservíveis, entre outros. Ele lembra que o Governo anterior perdeu o recurso do asfaltamento da Tito Prates e que exigirá dos deputados federais emendas grandes, "não migalhas".

Ainda apresentou as ações realizadas nos primeiros dias de governo. "Enquanto alguns fizeram marketing, nós baixamos a cabeça, trabalhamos e enfrentamos com coragem. Vestimos a camiseta e passamos a trabalhar, apresentando nossos resultados", enumerando as ações realizadas. Rossano ainda diz que as Secretarias de Obras, Serviços Urbanos e Transportes estão desenvolvendo ações emergenciais para resolver problemas em estradas e vias do município, onde algumas delas se arrastavam há seis meses. "Não é em 11 dias que a gente resolverá tudo, mas os pontos mais críticos buscamos corrigir", dizendo que fará ações organizadas nas próximas semanas. Sobre a limpeza da cidade, uma operação será realizada nos próximos dias porque a "cidade está muito suja" e que realocará a Usina de Asfalto para ser plenamente utilizada.

Atenção para a saúde
Sobre a saúde, ele informou que os médicos que atendem nas unidades básicas já foram pagos, o Programa Mais Médicos terá continuidade, mas que vai ser melhorado para atender melhor a comunidade. "Nós vamos cobrar tanto dos médicos estrangeiros como dos brasileiros o bom atendimento à nossa população. O ESF será disciplinado para que atenda melhor a comunidade. Eles (os agentes comunitários de saúde) estavam espalhados pelas ruas, sem orientação devida. Não vamos acabar com nenhum programa, é um compromisso que vamos cumprir, vamos manter e melhorar porque estava uma verdadeira bagunça. Vamos fazer uma nova revolução na saúde, implantando o Mais Exames e a oncologia em São Gabriel", dizendo que trará novos exames e ampliará os serviços para evitar a "ambulancioterapia" se os serviços existem aqui e podem ser contratados. Ele anuncia que nos próximos dias, serão reabertas a Farmácia Popular, fechada há meses por queda do forro de gesso por falta de manutenção e a UBS do Bairro Bom Fim, que foi inaugurada sem as ligações de água e luz devidamente ativadas.

Na Assistência Social, Rossano reforça o trabalho da Vice Karen em bem atender a Secretaria e que buscará a construção de uma Casa Lar para atender as crianças e melhorar a estrutura da pasta. Vai locar dois imóveis para alocar as Secretarias de Educação e Obras, esta última em um prédio térreo, pois o atual local dificulta o acesso à comunidade. Estas deverão ficar na Tejupá. Também locará novos locais para as Secretarias de Serviços Urbanos, Agricultura/Transportes (Desenvolvimento Rural) e a parte operacional da Secretaria de Obras.

Finalizando, o Prefeito afirmou que revogará atos considerados "arbitrários" realizado pela gestão anterior, como a desapropriação da área dos Assis Brasil e outras ações. "É com convicção que eu afirmo, São Gabriel tem jeito sim, depende de todos se envolverem", resumiu. Ele espera chegar ao final "da carreira e dizer que finalmente, vencemos as dificuldades" e para isso, conta com a comunidade. Fala do papel das redes sociais para sugerir, cobrar com responsabilidade e reivindicar, para que "ajude São Gabriel". Após, ele respondeu aos questionamentos da imprensa presente à coletiva.

Confira a seguir, o slide que detalha a situação que foi repassada a Prefeitura de São Gabriel:


Reportagem: Marcelo Ribeiro 
Data: 12/01/2017 16h33 
Contato: (55) 3232-3766 / 996045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: