Acompanhe nossa cobertura na Expointer 2017

03-09 Jantar-baile Os Monarcas - CTG Querência Xucra

Anúncio Domingueira Farroupilha - CTG Plácido de Castro

Festejos Farroupilhas de São Gabriel - Clique aqui para ver a programação

Lançada Força-Tarefa de Combate ao Abigeato

Presidente do Sindicato Rural, Tarso Teixeira (C), prestigiou o lançamento da força-tarefa contra o abigeato em Rosário (foto divulgação/Sindicato Rural)
No último dia 19, na cidade de Rosário do Sul, o Governo do Estado realizou o lançamento da nova Força-Tarefa de Combate ao Abigeato, iniciativa da Secretaria Estadual da Segurança Pública em articulação com outros órgãos do Estado e da União. O presidente do Sindicato Rural de São Gabriel, Tarso Teixeira, esteve no ato como vice-presidente da Farsul, representando o presidente Carlos Sperotto, prestigiando a iniciativa coordenada pelo governador em exercício José Carlos Cairoli, o secretário de Segurança Pública Wantuir Jacini e os respectivos chefes da Brigada Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.


A nova força-tarefa concentra esforços dos diversos órgãos da Segurança Pública e de outros setores, como o próprio setor de fiscalização da Secretaria da Agricultura, e deverá se concentrar nos municípios da Fronteira Oeste e Campanha Central, onde a incidência do abigeato é maior, justamente por serem os municípios que concentram a maior parte da produção ovina e bovina do Estado. No ano de 2015, a incidência de abigeatos no Estado cresceu 25%, e a criação da Força-Tarefa, que será sediada em Rosário do Sul por questões estratégicas, pretende ser uma resposta ao crime.

Tarso Teixeira, representando a Farsul, enfatizou que o setor anseia por ações concretas a partir desta nova força-tarefa, que chegou a ser anunciada pessoalmente pelo secretário Wantuir Jacini, em 2015, na Exposição-Feira de São Gabriel. “O abigeato já não é mais um abate clandestino. É na verdade um abate consentido, no momento em que o Estado deixa de atuar na sua resolução. O abigeato não lesa somente o pecuarista, nem somente o Estado que deixa de arrecadar milhões em tributos, mas a saúde da população. Mais de 90% dos casos de hidatidose, doenças de fígado e brucelose em humanos são originários do consumo de carne não-inspecionada, gerando mais um ônus para o Poder Público e a perda de vidas”, ressaltou.

Reportagem: Assessoria de Imprensa/Sindicato Rural 
Data: 22/08/2016 20h59 
Contato: (55) 3232-3766 / 96045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: