Caderno7 na Expointer - banner redes sociais

03-09 Jantar-baile Os Monarcas - CTG Querência Xucra

Papo Reto no Caderno7

João Pedro Lemos
Colunista do blog

Agricultura avança na preservação
Participando de muitos eventos do setor primário, acompanhando palestras e cursos ligados a área, tenho me deparado com algumas situações que realmente me chamam atenção. Quero destacar que a empresa Jorge Santos tem sido pioneira em lançamentos e tecnologia e a que mais tenho acompanhado e nesse caso vou abordar o tema tecnologia, avanços e lavoura.



Primeiro ponto o uso de adubo orgânico, crescendo muito, inclusive hoje com empresas voltadas exclusivamente a fabricação deste tipo de material. Isso é mais um avanço em termos de preservação, que somado ao plantio direto garantem o fim da erosão e a recuperação do solo de maneira natural, gerando também um alimento com fontes mais saudáveis. E nesse ponto o setor primário de nossa cidade está bem atualizado, pois inclusive uma empresa de adubo orgânico tem aqui.

O Plantio Direto
Em termos de Plantio Direto São Gabriel foi pioneira na regiãoquando ainda no final dos ano 80 o então Presidente da Associação dos Arrozeiros João Francisco Giuliani trazia a São Gabriel o Clube do Plantio Direto fomentando o sistema, hoje usado praticamente em todas as lavouras. Na época o ajudei a divulgar e organizar o evento, cuja técnica no início teve resistência, mas depois se espalhou. Ai já demos um pulo em termos de preservação, redução na poluição e principalmente a erosão que na época gerava tanta polêmica por parte de ambientalistas.

Transgênicos
Antes de entrar no tema propriamente dito vou falar em transgênicos, aliás, São Gabriel está muito bem nessa área através das Sementes Lannes que tem várias lavouras experimentais com excelentes resultados, sistema inovador e que já faz parte dos sistemas de produção gerando baixo custo e preservação ambientalà medida que reduz o uso de inseticidas e herbicidas. Gera plantas mais resistentes com mais resultados e menos poluição e envenenamento de sangas e rios.

Automação: o futuro chegou
A automação da lavoura é fantástica, conheci alguns displays de “autopilot” que permitem fazer todas as operações de agricultura de precisão num único equipamento, isto é, o ser humano só programa e um robô coordenado por GPS assume o volante do equipamento desempenhando todas as funções. Você já havia imaginado isso? Maquinário fazendo tudo por conta, só falta pensar e planejar! Do jeito que anda a nanotecnologia nem duvido mais, se misturarmos isso a implantes, clones etc...Tá louco!

Às vezes penso que o “Exterminador do Futuro” é só uma questão de tempo, nos anos 80 ao assistir “BladeRunner” o touchScreen era quase um sonho... Hoje drones automatizados viramrealidade, mas foram pensados no filme “Oblivion”, tudo está virando realidade, vivemos quase uma ficção de nossa realidade e de forma extremamente acelerada. Vocês já se deram conta que tem carro que estaciona sozinho, isso significa que em breve farão muito mais, breve mesmo.... Para encerrar o que é meio engraçado e ligado ao tema o filme “Interestrelar” o cara é agricultor e a tecnologia leva o nome de uma marca de trator e colheitadeira.

Michel Temer no caminho certo
Criar a possibilidade para estados e municípios respirar em termos financeiros é sem dúvidas uma grande saída, porque não só viabiliza maior circulação de recursos como dá um fôlego nos recursos fazendo com que, haja tempo para organização nas finanças públicas, especialmente o gestor que recebeu o Estado falido como no caso do Rio Grande do Sul.

Desde o início do governo entendia ser um absurdo nosso estado pagar verdadeiras fortunas de juro para a união, sendo que as riquezas que geram os recursos dessa mesma união estão nos municípios e estados. Para começar a melhorar a situação geral, essa foi uma sábia decisão.

Tantas iniciativas no controle de gastos e investimentos que comprovam que realmente o país estava mal administrado, com inversão de valores em investimentos e gastos sem nenhum tipo de resultado em prol da maioria dos brasileiros. Na verdade tínhamos um governo que mascarava em ações consideradas de relevâncias sociais e culturais favorecimentos com dinheiro público, acabar com isso também foi também uma sábia decisão de Temer.

Na verdade é só um pouquinho mais e o país se ajeita, agora é torcer para que essa forma de governar democrática e de acordo com os anseios dos brasileiros continue e para que venhamos a recuperar a credibilidade e novos investimentos é necessário que se mantenha essa política e para tudo isso precisamos nos mobilizar novamente para que não voltemos atrás e para traz.

Lógico que para a geração de empregos precisamos de uma política de avanços na área, aliás, o que não temos ainda, Política de Emprego.  Criar um mecanismo em que altos impostos possam ser revertidos em emprego, ao menos em parte. Não estou propondo o fim da arrecadação, sim meios em que se reduzam impostos abusivos e aumente o emprego, para que além de ganhar com o recurso das vendas, as empresas gerem empregos, que aumentam as vendas a partir de mais dinheiro no mercado, aumentando também a arrecadação. Vamos aguardar, se isso acontecer junto com a reforma da previdência, entramos em outro momento para nossa economia.

Data: 01/07/2016 09h26
Contato: (55) 3232-3766 / 96045197 
E-mail: blogcadernosete@gmail.com 
jornalismo@caderno7.com
Comentário(s)
0 Comentário(s)

Nenhum comentário: